MAIS PERTO DE JESUS! (PRIMEIRA PARTE).

Lembro que em certa ocasião estava na antiga loja Mesbla e me deparei com uma senhora que andava curvada apoiada numa bengala. A sua coluna era arqueada e possuía como que um peso que forçava a andar daquela maneira. Ela apoiou-se num balcão e  fiquei de frente para ela sem saber o que fazer. Não sabia se a ajudava ou se prosseguia o meu caminho. Foi esta situação que me levou a atenção para esse encontro de Jesus com a mulher encurvada. Cheguei a casa e li o texto da cura daquela mulher. E na primeira oportunidade que tive preguei sobre a libertação da mulher. Ao contrário de mim, Jesus soube o que fazer, quando esteve no mesmo ambiente com a mulher.

 o  Desânimo:

I – Pensemos na mulher  encurvada:

 a)     A mulher encurvada pode representar algumas situações:

 

  O desânimo encurva a pessoa. Faz com que a pessoa se sucumba na vida; não tenha garra; não tenha       ânimo para viver. Veja o salmista em Sl 143. 7:  

Dá-te pressa, SENHOR, em responder-me; o espírito me desfalece”.

 O salmista sentia as forças esvaírem-se. Assim faz o desânimo, curvando nos na lida diária. Precisamos lembrar da célebre frase de Cristo:

 Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo (Jo 16.33)

 o      Inferioridade: 

 O indivíduo que tem o sentimento de inferioridade não lida com o próximo como um igual. É encurvado por um sentimento de desvalor. É um indivíduo que se sente pequeno, não ama o próximo como a si mesmo porque não se ama. Vive em busca do reconhecimento do outro, pois não sabe exatamente quem ele é.  

Não me refiro à orientação bíblica de considerar o irmão superior a si mesmo. Isto devemos fazer. Veja Fp 2. 3:

 “(…) considerando cada um os outros superiores a si mesmo.” 

 Mas me refiro ao indivíduo que dificilmente se posiciona na vida, porque é encurvado por sua própria insegurança. O exemplo desse sentimento é Saul. Veja o que Samuel disse para ele em I Sm 15.17:

Porventura, sendo tu pequeno aos teus olhos, não foste    por  cabeça das tribos de Israel, e não te ungiu o SENHOR rei sobre ele? .

 Percebemos que, quando Saul desobedeceu à ordem de liquidar todos os amalequitas, a sua desobediência teve um componente psicológico.  Ele se sentiu pequeno diante do povo, mas Deus o  havia colocado como cabeça.

Apesar de Saul ser o rei, ele se sentia pequeno. Tanto que, quando Davi se sobressaiu, ele tentou de todas as formas “abafar” Davi, porque viu em Davi uma ameaça ao seu trono.

o        Desvio moral:

Muitos estão curvados diante de um desvio moral. São pessoas dobradas por uma perversão, por uma tara, por um vício, por um hábito e por mais que tentem  endireitar-se não conseguem. Sempre sucumbem no mesmo ponto. O advento do Reino de Deus na terra promove o acerto dos caminhos tortuosos.

Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados. (Is 40. 3 e 4).

 o          Mentira:

 Quando alguém mente, geralmente não consegue olhar nos olhos da pessoa para quem está mentido. A mulher encurvada, devido a seu defeito físico, não conseguia olhar olho no olho, mas olhava debaixo para cima. Então creio que essa mulher represente as pessoas que mentem. Além disso, a mentira é uma prisão que leva a outras mentiras, e Jesus disse que ela estava como que numa prisão espiritual.

Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros. (Ef  4:25)

 

o       Quando o horizonte é o chão:

 A mulher encurvada possivelmente não via o firmamento e, se via, o fazia com dificuldade. Seu olhar era sempre para baixo. Por isto digo que o seu horizonte era o chão. Assemelhava-se ao homem que acha que a vida se resume ao nascimento, crescimento,  conhecimento,  produtividade,  envelhecimento e  morte. Para a pessoa que tem esse horizonte o chão é onde tudo termina. A morte é o fim de todas as coisas. O destino do homem é virar alimento de vermes. Não tem a perspectiva da eternidade com Deus. É triste o homem que tem essa perspectiva.

Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. (I Co 15.19)

o          Carga:

 A mulher encurvada pode representar alguém que carrega uma carga pesada. Problemas, rixas, depressões, angústias podem abater-nos. Veja o salmista pedindo ao Senhor para sair do abatimento em Sl 61.1- 3:

 Ouve, ó Deus, a minha súplica; atende à minha oração. Desde os confins da terra clamo por ti, no abatimento do meu coração. Leva-me para a rocha que é alta demais para mim; pois tu me tens sido refúgio e torre forte contra o inimigo.

 O convite supremo de Cristo é para todos aqueles que estão sobrecarregados pelas cargas da vida.

 Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve (Mt 11.28-30).

(O texto continua na parte 2. O autor do texto é o Pr Eber Jamil, dono deste blog).

Anúncios

4 Respostas para “MAIS PERTO DE JESUS! (PRIMEIRA PARTE).

  1. Agora o blog do senhor está bonitão!
    Grande abraço!

  2. Muito edificante este texto.
    Deus abençoe

  3. Gostei muito do texto.
    Sempre leio os textos e paralelos que o senhor faz.
    Procuro aplicá-los na minha vida.

  4. isso é tocante…
    queria pedir permissao para falar essas palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s