MODELO PARA OS FIÉIS.

 

fiel

Leia I Tessalonicenses 1

Introdução:

O nome da cidade Tessalônica foi dado por Cassandro em homenagem à sua esposa Thessalonique, irmã de Alexandre O Grande. Cassandro ampliou uma vila existe no local thermai. Era uma cidade comercial de grande interesse no seu tempo pelo porto que possuía. O número de judeus em Tessalônica era enorme.

A Igreja foi fundada por Paulo e Silas cerca de 50 d.C. Na segunda viagem missionária após a fundação de Filipenses

At 17.1-9:

Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus. Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras, expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio. Alguns deles foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosa multidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres. Os judeus, porém, movidos de inveja, trazendo consigo alguns homens maus dentre a malandragem, ajuntando a turba, alvoroçaram a cidade e, assaltando a casa de Jasom, procuravam trazê-los para o meio do povo. Porém, não os encontrando, arrastaram Jasom e alguns irmãos perante as autoridades, clamando: Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui, os quais Jasom hospedou. Todos estes procedem contra os decretos de César, afirmando ser Jesus outro rei. Tanto a multidão como as autoridades ficaram agitadas ao ouvirem estas palavras; contudo, soltaram Jasom e os mais, após terem recebido deles a fiança estipulada.

Paulo e Silas se dirigiram a sinagoga local e lá pregaram o evangelho (At 17.1 e 2). Em conseqüência, muitos aceitaram o evangelho (At 17.3 e 4). Isto despertou o ciúme dos judeus que alvoroçaram a cidade contra Paulo. Estes judeus invadiram a casa de Jason (At 17.5-9). A expressão usada acerca dos cristãos foi: “Estes que tem alvoroçado o mundo chegaram até aqui”.

O nosso tema é: Modelo para os fiéis. Paulo fala acerca da Igreja de Tessalônica que eles se tornaram modelo para os fiéis. Quais são as características desta Igreja que os fez ser considerados modelo para os fiéis? Vamos ver isso.

Mas, antes, o que é ser modelo?

I – O que é ser modelo?

Modelo é a tradução do vocábulo grego “tupos” que significa marca vísivel, cópia, imagem, padrão. A forma verbal é tupto – bater – daí a idéia de marca. Ser modelo então é deixar marcas, imagens na vida de alguém.

II – Por que eles se tornaram modelos?

a) Por que eles receberam o verdadeiro evangelho:

“ porque o nosso evangelho não chegou até vós tão-somente em palavra, mas, sobretudo, em poder, no Espírito Santo e em plena convicção, assim como sabeis ter sido o nosso procedimento entre vós e por amor de vós” (1 Ts 1. v.5).

O evangelho não é a apresentação de uma filosofia vã, mas a operação de um poder (Rm 1.16). Quando o evangelho é pregado, o poder de Deus está em operação para a salvação dos homens. Quando escrevo sobre o poder, refiro-me ao poder transformador de Deus, operado pelo Espírito Santo, e não por artifícios humanos. A convicção pode ser traduzida melhor por “certeza” (plena certeza). O apóstolo e seus ajudantes tinham plena certeza de que no Espírito Santo o evangelho era um poder transformador.

b) O verdadeiro evangelho foi traduzido em ações na vida deles:

“recordando-nos, diante do nosso Deus e Pai, da operosidade da vossa fé…” (1 Ts 1. v.3).

A grande ênfase de Paulo era na salvação pela graça, por meio da fé, sem obras (Rm 4). Entretanto, era uma fé que produzia obras (Ef 2.8-20). Não existe conflito entre Paulo e Tiago (2.14 e ss). Uma fé que salva produzirá boas obras como evidência da salvação. É esta espécie de fé que salva. De fato, Paulo fala da fé que opera pelo amor (Gl 5.6).

“recordando-nos… da abnegação (trabalho) do vosso amor”(1 Ts 1. v.3)

Trabalho significa labuta árdua e estafante. É o labor cansativo feito por amor. A palavra traduzida como amor (ágape) dá a entender o amor que caracteriza a natureza de Deus (I Jo 4.8). Basicamente, significa um estado de absoluta lealdade ao seu objeto (Rm 5.8). Aqui ela tem a conotação de amor cristão, acima de todos os tipos de amor. É um amor que tem origem na natureza de Deus. Em resposta a ele, o homem também o ama. E, em Cristo, o crente abre-se para amar todos os homens. Este amor tem uma dimensão horizontal, bem como vertical. Ele é resumido de maneira mais perfeita na cruz. Tendo-se entregado desta forma ao amor de Deus, os cristãos de Tessalônica se davam aos outros em um labor árduo, caracterizado e inspirado pelo amor.

“recordando-nos… firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo. (1 Ts 1 v.3)

A firmeza (paciência) não tem a conotação de uma aquiescência negativa, passiva. Ela consiste em uma persistência positiva, ativa, viril. Esta palavra é encontrada nos papiros para designar um atleta ou soldado que podia suportar o ataque do seu oponente, possuindo, contudo, forças de reserva com que contra-atacar, até alcançar a vitória. Na vida militar, referia-se a uma citação como uma medalha de honra. Esta paciência era caracterizada pela esperança. Ela persistia em esperança ou certeza de vitória. Isto era especialmente significativo na situação existência em Tessalônica (v.5 e ss.)

Notam-se as três virtudes cristãs: fé, amor e esperança (I Co 13.13).

c) Seguiram bons modelos:

Os tessalonicenses seguiram bons modelos apesar das aflições estarem presentes. Veja:

Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio de muita tribulação, com alegria do Espírito Santo (v.6).

Só o Espírito é capaz de dar alegria no meio do sofrimento. Cristo suportou em alegria (Hb 12.2) o sofrimento da cruz. Citarei alguns exemplos que temos na epístola aos filipenses que nos inspiram.

Seguindo o exemplo de Cristo.

Fp 2.5-11: Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.

Seguindo o exemplo de Paulo:

Fp 1.12- 21: Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho; de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais; e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus. Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade; estes, por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho; aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulação às minhas cadeias. Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei. Porque estou certo de que isto mesmo, pela vossa súplica e pela provisão do Espírito de Jesus Cristo, me redundará em libertação, segundo a minha ardente expectativa e esperança de que em nada serei envergonhado; antes, com toda a ousadia, como sempre, também agora, será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte. Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.

Seguindo exemplo de Timóteo:

Fp 2.19-22: Espero, porém, no Senhor Jesus, mandar-vos Timóteo, o mais breve possível, a fim de que eu me sinta animado também, tendo conhecimento da vossa situação. Porque a ninguém tenho de igual sentimento que, sinceramente, cuide dos vossos interesses; pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus. E conheceis o seu caráter provado, pois serviu ao evangelho, junto comigo, como filho ao pai.

Seguindo exemplo de Epafrodito:

Fp 2.25-30: Julguei, todavia, necessário mandar até vós Epafrodito, por um lado, meu irmão, cooperador e companheiro de lutas; e, por outro, vosso mensageiro e vosso auxiliar nas minhas necessidades; visto que ele tinha saudade de todos vós e estava angustiado porque ouvistes que adoeceu. Com efeito, adoeceu mortalmente; Deus, porém, se compadeceu dele e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza. Por isso, tanto mais me apresso em mandá-lo, para que, vendo-o novamente, vos alegreis, e eu tenha menos tristeza. Recebei-o, pois, no Senhor, com toda a alegria, e honrai sempre a homens como esse; visto que, por causa da obra de Cristo, chegou ele às portas da morte e se dispôs a dar a própria vida, para suprir a vossa carência de socorro para comigo.

III – A conseqüência de serem bons modelos:

Porque de vós repercutiu a palavra do Senhor não só na Macedônia e Acaia, mas também por toda parte se divulgou a vossa fé para com Deus, a tal ponto de não termos necessidade de acrescentar coisa alguma; pois eles mesmos, no tocante a nós, proclamam que repercussão teve o nosso ingresso no vosso meio, e como, deixando os ídolos, vos convertestes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro e para aguardardes dos céus o seu Filho, a quem ele ressuscitou dentre os mortos, Jesus, que nos livra da ira vindoura (1 Ts 1.8-10).

A fé resoou ou repercutiu no grego é eksechetai que fala e proclama em voz alta deriva-se de eksecho que signifca fazer ressoar como um sino forte ou trovoada. Veja Mt 17.20:

E ele lhes respondeu: Por causa da pequenez da vossa fé. Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível.

E veja Mt 13.31 e 32: –

Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda, que um homem tomou e plantou no seu campo; o qual é, na verdade, a menor de todas as sementes, e, crescida, é maior do que as hortaliças, e se faz árvore, de modo que as aves do céu vêm aninhar-se nos seus ramos.

Mostraram o cristianismo real e verdadeiro:

1) Deixaram os ídolos e converteram-se a Deus.

2) Serviram ao Deus verdadeiro.

3) Aguardando dos céus O Filho.

Conclusão:

Há uma carência de modelos em nossos tempos. Muitos dizem: não olhe para mim, olhe para Jesus! Entretanto, esquecem que a Bíblia, que o nosso vizinho lê, somos nós. A igreja de Tessalônica foi modelo para sua geração de modo que a fé deles repercutiu por toda vizinhança.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s