AS ESCRITURAS E O PODER DE DEUS.

 

marvermelho Marcos 12: 18-27

Então, os saduceus, que dizem que não há ressurreição, aproximaram-se dele e perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, Moisés nos escreveu que, se morresse o irmão de alguém, e deixasse mulher, e não deixasse filhos, seu irmão tomasse a mulher dele e suscitasse descendência a seu irmão. Ora, havia sete irmãos, e o primeiro tomou mulher e morreu sem deixar descendência; e o segundo também a tomou, e morreu, e nem este deixou descendência; e o terceiro, da mesma maneira. E tomaram-na os sete, sem, contudo, terem deixado descendência. Finalmente, depois de todos, morreu também a mulher. Na ressurreição, pois, quando ressuscitarem, de qual destes será a mulher? Porque os sete a tiveram por mulher. E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura, não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus? Porquanto, quando ressuscitarem dos mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos nos céus. E, acerca dos mortos que houverem de ressuscitar, não tendes lido no livro de Moisés como Deus lhe falou na sarça, dizendo: Eu sou o Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é de mortos, mas sim é Deus de vivos. Por isso, vós errais muito.

Quem eram os saduceus? Eram responsáveis pela manutenção do culto no templo, por isto eram invejados pelos fariseus. Controlavam o sumo-sacerdote, o chefe dos sacerdotes. Eram muitos rígidos na manutenção da pureza levítica, entretanto, rejeitavam a existência de um mundo espiritual. Não acreditavam em anjos, em demônios, na ressurreição e na vida futura. Atribuíam tudo ao livre-arbítrio, ao invés de crer na soberania divina. Eles eram os deístas daquela época, ou seja, não criam que Deus interferia na vida dos homens.

Perpetraram um teste a Jesus acerca da lei do levirato e da ressurreição. Jesus responde que os ressuscitados serão como os anjos, que não se dão em casamento e que Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos. Falando assim, que Abraão, Isaque e Jacó eram espíritos vivos, e não estavam mortos.

Jesus dá o diagnóstico dos saduceus, quando diz que eles erravam por não conhecerem as Escrituras e nem o poder de Deus.

Antes eu interpretava esta expressão de Jesus de uma forma, hoje interpreto de outra. Pensava eu, que era possível ter as Escrituras e não ter o poder de Deus, ou, ter o poder de Deus, e não ter as Escrituras. Porém, Jesus disse que os saduceus não tinham nenhum dos dois. Portanto quem pensa que tem as Escrituras, mas não tem o poder de Deus, não tem as Escrituras. E quem pensa ter o poder de Deus, mas não tem as Escrituras, não tem o poder de Deus.

Aquele que pensa ter as Escrituras, mas não tem o poder de Deus, terá somente as letras das Escrituras, sem entrar no espírito da revelação. E aquele que pensa ter o poder de Deus, mas não tem as Escrituras, será místico, supersticioso e achegado a simpatias. As Escrituras e o poder de Deus são inseparáveis. Vejamos algumas provas disso:

1 – As Escrituras foram preservadas por causa do poder de Deus. O fato de hoje termos a Bíblia é uma demonstração do poder preservador de Deus. Na história enfrentamos muitas perseguições contra as Escrituras. Nos primeiros quatro séculos, por exemplo, tivemos o falso cânon do gnóstico Marcion e a perseguição do imperador Diocleciano. Na idade média, o povo não tinha acesso as Escrituras e era comum a bíblia ser acorrentada ao púlpito. Tudo isto foi superado e a Bíblia chegou até nós.

2 – As Escrituras relatam a história do poder de Deus. A Bíblia narra muitos milagres de Deus, tais como a criação, a passagem pelo Mar Vermelho e o Rio Jordão, ressurreições, nascimento sobrenatural, encarnação de Cristo e muitos outros. Se tirássemos a sobrenaturalidade da Bíblia quase nada restaria. A Bíblia registra o poder de Deus.

3 – A aplicação das Escrituras na vida do leitor depende do poder de Deus. A revelação das Escrituras só pode ser compreendida se o Espírito Santo ensinar e revelar. Sem o poder de Deus a compreensão será gramatical, lingüística, porém desprovida da revelação divina.

4 – A prática das Escrituras só é possível por causa do poder de Deus. Não é pala força da carne, nem da moral, nem do legalismo, que se consegue viver de acordo com as Escrituras. Somente aqueles que nasceram de novo, pelo poder regenerador do Espírito Santo, que podem viver segundo as Escrituras. A prática das Escrituras na existência é carregada do poder de Deus e da sua sobrenaturalidade.

Chegamos à conclusão que não é possível separar as Escrituras e o poder de Deus. Se isto acontecer, nos tornaremos como os saduceus, envolvidos com o culto, mas dissociados do sobrenatural. Apegados a liturgia, ao rito, a forma, mas sem a vida de Deus.

Anúncios

Uma resposta para “AS ESCRITURAS E O PODER DE DEUS.

  1. Gostei da observação.Pertinente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s