A LIDERANÇA NECESSÁRIA NOS DIAS DE HOJE.

diasdehoje

A segunda epístola de Paulo a Timóteo é cheia de recomendações ao pastor Timóteo e mostra profeticamente tempos angustiosos que nós estamos vivendo. O tempo que Paulo profetiza seria “trabalhoso”, "desagradável", "árduo", "malévolo", "difícil de levar" e a dor deste tempo, cada vez mais, se intensifica nos nossos dias. Portanto para falar sobre a liderança neste tempo, esta epístola é pertinente e atual. Busquei os princípios encontrados nesta epístola e apliquei como recomendações para a Liderança.

1) O Líder precisa de uma fé sincera (2 Tm 1.5).

“pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti.”

Ao contrário dos homens que têm somente uma aparência de piedade, o líder precisa de uma fé sem hipocrisia, sem máscara. Autenticidade é uma palavra chave para a liderança neste tempo.

2) O Líder precisa de coragem para desenvolver o dom, que Deus concedeu, diante da oposição enfrentada (2 Tm 1.6 e 7).

“ Por esta razão, pois, te admoesto que reavives o dom de Deus que há em ti pela imposição das minhas mãos. Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.

Os tempos trabalhosos não podem nos fazer retroceder quanto ao desenvolvimento do dom recebido de Deus. Precisamos da coragem para enfrentar as oposições usando plenamente a capacidade que o Senhor nos outorgou. O líder precisa nadar prá gente e avante.

3) O Líder precisa ser solidário (2 Tm 1.8).

“Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem do seu encarcerado, que sou eu; pelo contrário, participa comigo dos sofrimentos, a favor do evangelho, segundo o poder de Deus”.

Paulo pede a Timóteo sua participação nos sofrimentos dele. Paulo, em sua aflição, sentia falta dos seus companheiros. O Líder precisa ser alguém empático, que saiba apoiar outros em suas aflições e ser participante das aflições inerentes ao ministério, sem envergonhar-se do testemunho do nosso Senhor.

4) O Líder precisa perseverar na sã doutrina (2 Tm 1.13).

Mantém o padrão das sãs palavras que de mim ouviste com fé e com o amor que está em Cristo Jesus”.

No meio desta babel religiosa devemos nos manter na sã doutrina que recebemos de homens e mulheres de Deus. Os falsos mestres penetravam nos lares dos crentes tentando dissuadi-los da sã doutrina. Cabe a liderança manter-se no padrão da Palavra de Deus.

5) O Líder precisa fortificar-se em Deus (2 Tm 2.1)

“Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus”.

Aqueles que receberam o dom da liderança por meio de Cristo devem se fortificar na Graça que há em Jesus. O amor incondicional de Deus por nós é a fonte que precisamos para suportar, enfrentar e perseverar em tempos de crise.

6) O Líder precisa fazer discípulos (2 Tm 2.2)

“E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros”.

O papel do líder cristão é fazer com que a obra de Deus cresça com qualidade. Portanto, como ele um dia recebeu de mestres, ele deve passar a outros, que por sua vez, passarão a outros. É seguir o exemplo de Jesus que escolheu, inicialmente, doze para divulgar a sua mensagem.

7) O Líder precisa enfrentar as demandas da liderança como um soldado, atleta e lavrador sabendo que será recompensado (2 Tm 2.3-7).

“Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou. Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos. Pondera o que acabo de dizer, porque o Senhor te dará compreensão em todas as coisas.”

Como soldado deveria suportar as dificuldades, evitar os embaraços da vida civil e desejar agradar a quem o chamou – Deus. Como atleta deveria obedecer a regra da competição, para depois ser coroado. Como lavrador deveria labutar e depois receber como recompensa os primeiros frutos da colheita. Cada uma destas analogias convoca Timóteo a participar do sofrimento de Paulo e fala sobre o prêmio escatológico que ele receberia.

8) O líder precisa ter Jesus Cristo como inspiração e exemplo de constância (2 Tm 2.8-13).

Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho; pelo qual estou sofrendo até algemas, como malfeitor; contudo, a palavra de Deus não está algemada. Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória. Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele; se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.”

A imutabilidade de Cristo dá base para firmeza e constância do líder. Cristo deve ser a referência sempre presente em nossa liderança. Paulo estava suportando ser prisioneiro e tratado como malfeitor, porque Cristo assim suportou. Como Cristo triunfou, assim o líder triunfará: vivendo, perseverando, morrendo e depois reinando com Cristo.

9) O líder precisa manejar bem a Palavra da verdade (2 Tm 2. 14 e 15).

Recomenda estas coisas. Dá testemunho solene a todos perante Deus, para que evitem contendas de palavras que para nada aproveitam, exceto para a subversão dos ouvintes. Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.”

O líder não deve perder tempo com questões tolas e vãs, porém deve se aprimorar no conhecimento da verdade que a Palavra de Deus revela. Neste tempo difícil, a verdade da Palavra de Deus deve ser conhecida e divulgada por todos os líderes.

10) O líder deve evitar vãs disputas e controvérsias insensatas (2 Tm 2.16 – 18).

“Evita, igualmente, os falatórios inúteis e profanos, pois os que deles usam passarão a impiedade ainda maior. Além disso, a linguagem deles corrói como câncer; entre os quais se incluem Himeneu e Fileto. Estes se desviaram da verdade, asseverando que a ressurreição já se realizou, e estão pervertendo a fé a alguns.”

Tal advertência nos faz lembrar o alerta paulino: "As más conversações corrompem os bons costumes" (1 Co 15:33). Ainda que encontremos traduções que tragam a expressão "más companhias" em lugar de "más conversações", a idéia principal persiste: a comunicação verbal oriundas de companhias não recomendadas pode trazer sérios prejuízos aos nossos costumes e padrões morais, podendo perverter mesmo um excelente caráter. O líder não deve se ocupar com conversas que não trazem nenhum proveito. Himineu e Fileto estavam provavelmente ensinado que a ressurreição era apenas alegórica ou espiritual.

11) O líder deve evitar discussões inúteis que geram contendas, antes ele deve ser manso e apto para ensinar (2 Tm 2.23-26).

“E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Coloquei estes pontos juntos, pois eles são parecidos, com pequenas diferenças. Aqui Paulo orienta que o controverso deve ser ganho com mansidão evitando as discórdias, ou brigas. A correção terna e paciente visa restaurar o indivíduo conduzindo-o ao arrependimento; ao reconhecimento da verdade, por conseguinte, a sensatez e à libertação das armadilhas de satanás.

12) O líder deve buscar a santificação (2 Tm 2.19 e 21).

“Entretanto, o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os que lhe pertencem. E mais: Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor. Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra. Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra.”

O líder deve ser ortodoxo, porém a ortodoxia deve ser acompanhada da busca da santificação. O pecado deve ser abandonado. O líder cristão dever ser vaso de honra.

13) O líder deve fugir das paixões carnais e apegar-se a justiça, fé, amor e paz tendo um coração puro (2 Tm 2.22).

“Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.”

As paixões carnais e avassaladoras têm derrubado muitos líderes. As paixões por questões irrelevantes também devem ser evitadas. O cristão foge da tentação mantendo-se afastado de tudo aquilo que o prejudica, seguindo o que é proveitoso e buscando a companhia de pessoas espirituais.

14) O líder precisa observar os caminhos trilhados pelos bons líderes antes de nós (2 Tm 3.10 e 11).

“Tu, porém, tens seguido, de perto, o meu ensino, procedimento, propósito, fé, longanimidade, amor, perseverança, as minhas perseguições e os meus sofrimentos, quais me aconteceram em Antioquia, Icônio e Listra, —que variadas perseguições tenho suportado! De todas, entretanto, me livrou o Senhor”.

Aqui o experiente líder fala para o líder mais jovem, que seus caminhos são conhecidos por ele. Quantas lideranças novas se esquecem de observar de perto os líderes mais experientes e por isto cometem erros. As boas lideranças deixam rastos, que devem ser observados por nós, e isto nos trará um bom aprendizado.

15) O líder deve pregar a palavra pura em todos os momentos, mesmo quando encontrar ouvintes com comichões nos ouvidos, que buscam palavras satisfatórias aos seus desejos carnais (2 Tm 4.1-4).

“Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas”.

Paulo estava preste a morrer e tinha ciência disto e aqui estava dando as incumbências finais a Timóteo. Ele faz um juramento solene convocando a Timóteo pregar a Palavra a tempo e fora de tempo. A palavra deveria ser pregada em tempo oportuno ou não. Ele descreve pessoas que não mais se alegravam ao ouvir o ensino salutar das Escrituras, mas que andavam em busca de vários mestres que lhes apresentassem novidades, ainda que falsas. Porém o líder não deve se abster de pregar a palavra de Deus diante de um auditório adverso.

16) O líder deve fazer a obra de um evangelista e cumprir seu ministério (2 Tm 4.5).

“Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério.”

Nem todo o líder é um evangelista, porém deve fazer a obra de um evangelista. Muitos crentes repetem uma frase: ovelha gera ovelha. Dizendo assim que o rebanho espiritual deve buscar ganhar outras ovelhas, e assim deve ser feito. Porém, o pastor espiritual é uma ovelha do supremo pastor que é Jesus, portanto também deve gerar ovelhas. Todo líder deve evangelizar. Evangelizar é a missão de todos os nascidos de novo.

Paulo começa falando para Timóteo despertar o dom que havia nele, e concluiu que ele deveria cumprir cabalmente o seu ministério. Todo o líder deve chegar no final de carreira como Paulo em 2 Tm 4.7: Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.

A segunda epístola de Paulo a Timóteo é a sua última epístola. É a epístola de um pastor preparando seu sucessor. Paulo tem uma antevisão do futuro da Igreja nesta epístola e o que ela enfrentaria, principalmente, internamente. Portanto julguei pertinente tratar o tema deste tema: a liderança necessária para os dias de hoje, com tal magnânima epístola. Espero que os princípios aqui depreendidos sejam praticados por todos.

(O autor do estudo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

Uma resposta para “A LIDERANÇA NECESSÁRIA NOS DIAS DE HOJE.

  1. Caro Pr. Eber Jamil,
    Parabéns pela abordagem. Fico impressionado como tem lideres que obscurecem e complicam a Palavra de Deus que é tão clara. Transformam o fácil em difícil e terminam por complicar o entendimento das ovelhas. Mas, me preocupa uma forte tendência de lideres que estão mais preocupados com a lã da ovelha do que com o alimento da ovelha. Precisamos de abordagens simples, direta e de fácil entendimento para que as ovelhas tenham alimento sólido e não venham a desviar-se do caminho. Paz em Cristo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s