INTEGRAÇÃO DE NOVOS MEMBROS.

igreja7

A evangelização da Igreja é de suma importância e não deve ser negligenciada. Mas e depois? Se a pessoa se converte o que fazemos? Será que existe uma equipe que cuide da integração do novo convertido? O novo convertido enfrenta uma série de dificuldades para prosseguir sua caminhada até ao batismo e depois a membresia da Igreja local.

Hoje, e sempre, existe a carência no corpo de Cristo de pessoas que apoiem os novos crentes na integração da Igreja. Muitos desses novos crentes sofrem preconceitos e encontram “grupos fechados” que impendem o seu ingresso na Igreja. Entretanto, se houver entre nós “Barnabés” a integração acontecerá com mais facilidade.

Barnabé significa “filho da consolação”. Como filhos de Deus, vocês, devem sê-lo também: instrumentos nas mãos de Deus para a consolação. Dentre muitas coisas que Barnabé fez, podemos destacar o apoio que ele deu a Paulo quando se converteu. Ele o ajudou a ser aceito pelos apóstolos. Seja um filho da Consolação, na verdade, já é, se creu em Jesus como Salvador, inserindo o novo crente na convivência com os irmãos da Igreja.

Alguns aspectos práticos são telefonemas, e-mails, cartas, literatura, visitas, que devem ser enviadas e feitas a pessoa que se decide por Cristo. No contato inicial deve se verificar se a pessoa entendeu a decisão que tomou ao lado de Cristo. Para isto um acompanhamento através do discipulado é fundamental e também o encaminhamento para a escola Bíblica Dominical para o novo crente. O discipulador precisa ser um crente amadurecido, que já foi discipulado, e ligado à Igreja local para que faça com eficiência e sem prejuízo ao corpo da Igreja.

No início é importante que o novo crente receba uma bíblia, indicação de livros e cds pertinentes ao início da carreira cristã para fortalecimento e descobrimento da nova vida com Deus. Outro recurso valioso é a realização de um retiro para os novos membros da Igreja. Onde se passará toda a visão bíblica acerca da Nova Vida com Cristo, da importância da Igreja Local e as doutrinas básicas da fé. Algo importante é que o Pastor da Igreja esteja presente neste trabalho de integração do novo membro e dele participe, pois o novo membro precisa entender e conhecer o pastor da Igreja.

O trabalho de integração é até que o membro seja um membro atuante, desenvolvendo seu ministério e ganhando outras pessoas para Cristo. O cuidado deve continuar até que o novo crente alcance esses objetivos. Ao membro se encaixar em um ministério local o líder de ministério e o ministério pastoral dará continuidade ao cuidado que será permanente.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s