SERVIR É A NOSSA MISSÃO,

servir2

Jesus na última ceia com os discípulos demonstra uma inversão de valores: o maior deve servir. Ele lavou os pés dos discípulos tendo consciência da Sua Divindade, que era um serviço para os escravos fazerem. Jesus o fez. Ele tinha ciência de quem era, da sua posição, aceitou até adoração, em outros momentos, que era seu direito, pois era e é Divino, mas mostrou que tinha vindo para servir.

O apóstolo João antes da descrição e explicação do ato de Jesus afirmou que Ele amou os seus discípulos de forma perseverante. Mostrando que a atitude de servir é um ato de amor e não um fim em si mesmo, ou uma forma de ganhar “status” de humilde perante os outros. Servir tem que ser fruto do amor. Afinal, o amor é prático, sendo uma das suas manifestações o serviço a Deus e ao próximo.

Estamos acostumados a ver pessoas se valerem das suas posições de proeminência para tirar proveito, vantagem dos seus liderados. Quem galgar a um posto de liderança saiba que deve ser servidora. O primeiro é aquele que deve ser o que mais serve. O gesto de Jesus foi revolucionário. Subverteu os princípios seculares que os discípulos estavam acostumados.

Pedro teve dificuldades em entender o gesto de Cristo. Dificuldade que a maioria da humanidade tem. O entendimento que a grandeza é servir é compreendido por poucos. Na cultura brasileira existe a expressão: “jeitinho brasileiro”, que seria levar vantagem em tudo. Boa parte dos homens entendem assim, e poucos entendem que na percepção divina o maior deve servir. Não é “coisa de bobo” servir, mas uma missão. Como é comum ser postado no facebook: “ministério não é ser visto, mas serviço”.

Respondendo a incompreensão de Pedro, Jesus se valeu dessa prática também para falar de purificação. Mostrando que os seus servos que já foram limpos deveriam agir de forma desapegada da glória humana, do status da sociedade, e apegar-se aos valores de Deus. Quando os pés forem sujos pelas influências do mundo devem ser lavados.

Muitos ministérios se desvirtuam neste ponto. Começam de forma abnegada, desinteressada e desviam por causa da vaidade, da fama e da avareza. Jesus recomendou que esta demonstração dele fosse entendida e praticada pelos seus discípulos. Muitos entendem literalmente e acham que o lava-pés deve ser uma prática rotineira na igreja, mas a questão é que o espírito de humildade exemplificado por Cristo deve ser praticado por seus servos.

Quando no cumprimento do “Ide” de Jesus devemos fazê-lo no espírito de servir as pessoas que ainda não conhecem a Cristo. Quando no exercício do discipulado em todas as nações devemos ser humildes sabendo que os discípulos são ovelhas de Cristo. Quando no exercício da liderança lembrar que a autoridade conferida visa conferir possibilidades de servir melhor. Quando você ficar conhecido por sua conduta que as pessoas deem glórias a Deus por Ele ter feito isto em você.

Servir alguém não é um favor que prestamos a alguém, mas um privilégio. Fazer a vontade de Deus é um galardão que Ele nos dá quando fazemos esta escolha. A vida passa rápido para gastarmos com coisas fúteis. O melhor da vida é entender a grandeza do Reino, que excede a todas as glórias deste mundo. O melhor da vida é a subversão dos valores celestiais que são diferenciados dos valores terrenos, que são finitos. A glória de Deus é que sirvamos a Ele e ao próximo de coração.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s