ESCOLHA A VIDA!

portas

 

Considerei como um dos símbolos desta geração anos atrás o controle remoto. Porque vivíamos época chamada de pós moderna, época do pluralismo, das muitas escolhas e com o controle nas mãos o indivíduo passeava pelas muitas opções e possibilidades. Surgiu até na época a palavra “zaping”, que descreve o ato de passear pelos canais de tv usando o controle remoto. No início dos anos 2000 se falava muito em pós-modernidade onde além das muitas opções que se ofereciam eles criam que a única verdade era que tudo é relativo. Pois, o entendimento era que não havia verdades absolutas e que a única verdade absoluta, que é uma contradição, era que tudo é relativo.

Hoje já se fala na era pós-verdade. Consideraram tudo relativo tanto que hoje para esta geração não existe mais a verdade como algo concreto. Hoje muitas informações que nos chegam não carregam mais a certeza de ser confiável. Todas sortes de Fakes News nos são divulgadas. Há uma sorte de citações de seletas personalidades com frases célebres que não correspondem a verdade.  Estranho o mundo que estamos vivendo. Estamos colhendo os frutos do tiro no pé é que demos em nós mesmos quando aceitamos a falsa ideia de que tudo é relativo. A geração atual, principalmente que atingiu a idade adulta na década de 2010, recebeu o título de “geração floco de neve” porque se ofende por tudo. Todo este combate a verdade absoluta fragilizou a sociedade que precisa de valores e verdades absolutas.

Podem existir no sentido humano muitas opções, mas espiritualmente falando não é assim. Cristo alerta: não há muitas opções, há apenas duas, não há muitos caminhos, há apenas dois. Um leva ao céu, o outro ao Inferno. No sermão do monte que é onde me baseio para escrever o que escrevo Jesus falou da impossibilidade de se servir a dois senhores e termina o sermão contando a parábola dos dois fundamentos, um que é o de areia e o outro que é o da rocha. O profeta Jeremias afirmou em 21:8 – Assim diz o Senhor: eis que ponho diante de vós o caminho de vida e o caminho da morte. Cristo enfatizou que há a necessidade da escolha e não há uma opção neutra. O profeta Elias em 1 Rs 18:21 perguntou ao povo: até quando coxeareis entre dois pensamentos?

No texto de Mateus 7:13 e 14 Jesus deixou bem claro que só há duas opções ou se entra pela porta larga ou pela porta estreita. A porta larga é fácil e não precisa deixar nada. A porta estreita é difícil e é preciso abandonar o pecado,  como o  egocentrismo e o mundanismo por exemplo. Jesus disse: entrai pela porta estreita, sendo a porta o próprio Jesus que disse em outra ocasião: Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá e achará pastagens (Jo 10:9).

No mesmo texto de Mateus 7 Jesus afirma que só há dois caminhos o largo, espaçoso e o caminho apertado. O caminho estreito é Jesus, que disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém chega ao Pai a não ser por mim. Pedro em Atos 4:12 afirmou: E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devemos ser salvos. Tal entendimento se manifestou nos primeiros cristãos que foram chamados de seguidores do caminho (At 24:14).  O caminho largo é o caminho proposto pelo sistema pecaminoso deste mundo que é governado por Satanás. É o caminho mais fácil. Em Salmos 1 o salmista faz a afirmação que O Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá (v.6).

Como há duas opções e dois caminhos haverá também dois resultados. Quem escolhe a porta larga e o caminho largo terá como resultado a perdição e a destruição. Quem escolhe a porta estreita e o caminho apertado terá como resultado a vida. Certa vez Jesus afirmou que o ladrão (que é satanás por antítese) vem senão para roubar, matar e destruir e Ele tinham vindo para dar vida, e vida com abundância. Quem escolhe a porta estreita, que é Jesus, o caminho apertado, que também é Jesus, encontra a vida ao contrário desta escolha encontrará perdição eterna.

Fica entendido também no texto que há o grupo dos muitos que escolhem o caminho que leva a perdição e o grupo dos poucos que escolhem a vida. Paulo escreve aos coríntios (1:18) – Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos é o poder de Deus. O povo de Deus não é mais escravo do pecado e nem escravo do sistema pecaminoso que domina este mundo por onde a maioria é dirigido.

Diante do exposto fica dito que temos duas escolhas:

– Porta estreita ou porta larga

– Caminho estreito ou caminho largo

– Caminho que conduz a vida ou o caminho a perdição

– Pertencer ao grupo dos poucos ou ao grupo dos muitos

O desafio de Deus feito por Moisés ao povo de Deus é o mesmo desafio para nós – “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, que tenho proposto a vida e a morte, a benção e a maldição, escolhe, pois a vida, para que vivas tu e a tua semente” (Dt 30:19).

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s