O PROPÓSITO DA EVANGELIZAÇÃO.

ide

Um dos grandes propósitos da Igreja é a evangelização. Na grande comissão está como: “ide, fazei discípulos” no original grego o ide deve ser entendido “enquanto você está indo” dando a entender que já é algo natural da Igreja ir. Este propósito é tão importante que Deus nos deu cinco grandes comissões (Mt 28:19-20; Mc 16:15; Lc 24:47-49; Jo 20:21 e At 1:8) onde o Senhor ordena ir e pregar ao mundo a salvação. O que nos mostra que aquilo que chamamos de Missões está incluído no propósito da evangelização. Sendo um propósito que visa ganhar pessoas para Cristo.

A mensagem pregada pela Igreja é a do Evangelho que são as boas-novas de salvação para todo aquele que crê (Rm 1:16). A pregação visa que os ouvintes sintam uma tristeza segundo Deus que opera o arrependimento para a salvação (II Co 7:10) sendo possível por causa do convencimento do Espírito Santo (Jo 16: 8 – 11). O homem natural não compreende as coisas de Deus. É necessário que Deus abra o entendimento e O Espírito convença. Um exemplo desta obra de Deus é Lídia, vendedora de púrpura, que teve seu coração aberto para compreender as coisas de Deus (At 16:14). Quando pregamos dependemos do Espírito Santo para convencer.

Pedro explica em sua primeira epístola que nós não éramos (gentios)  Povo de Deus, mas ao crermos recebemos esta condição alcançando misericórdia e sendo adquiridos para anunciar as virtudes daquele que nos tirou das trevas para a Sua maravilhosa luz (1 Pe 2:9 e 10). Fica claro que o propósito de evangelização está entranhado na razão de ser e existir da própria Igreja, que não pode se omitir e nem fugir da sua missão de pregar o evangelho.

É um dever pregar o evangelho a toda criatura. Como alguém nos pregou nós devemos também fazer o mesmo.  É agir como Deus agiu conosco (Jo 20:21). Se não fosse Deus que enviasse Seu único Filho todos nós iriamos perecer (Jo 3:16), mas Seu amor agiu em nosso favor mesmo sem merecermos (Rm 5:8). Como alguém já disse: “ se a igreja não evangeliza ela se fossiliza”. Ao fazermos não devemos nos envaidecer porque é nosso dever e se não fizermos seremos dignos de um ai divino como afirmou Paulo  em 1 Co 9:16. Spurgeon disse que “todo cristão ou é um missionário ou é impostor”.

Cumprir este propósito é uma ordem para livrarmos pessoas da condenação e da morte eterna (Pv 24: 11 e 12). Deus tem ciência se fazemos ou nos omitimos. Precisamos lembrar que há pecados contra Deus por omissão como está em Tiago 4:17. Marthin Luther King disse bem: o que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”. Reinhard Bonnke disse: “não pregar o Evangelho é o mesmo que esconder o remédio do doente”.

A ideia também da responsabilidade pessoal e a de prestar contas a Deus, o juiz soberano, é uma razão para a evangelização da Igreja. Com certeza todos iremos comparecer diante de Deus e prestaremos contas pela divulgação ou não do evangelho de Cristo. Paulo frisou: “Pelo que desejamos também ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes. Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal. Assim que, sabendo o temor que se deve ao Senhor, persuadimos os homens à fé…” (2 Co 5:9-11). Deus ao falar  da responsabilidade de Ezequiel como atalaia mostra o nosso dever de pregar o evangelho. O atalaia não pode afastar o inimigo, pode apenas dar o alarme. Se as pessoas não valorizarem o alarme, isto não é responsabilidade do atalaia. Mas, se o atalaia não avisar ele também será cobrado. “Se eu disser ao ímpio: O ímpio, certamente morrerás; e tu não falares para dissuadir o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniquidade, mas o seu sangue eu o requererei da tua mão. Todavia se advertires o ímpio do seu caminho, para que ele se converta, e ele não se converter do seu caminho, morrerá ele na sua iniquidade; tu, porém, terás livrado a tua alma.” (Ez 33:8,9). Fica claro que se a Igreja não cumprir o propósito da evangelização será cobrada por Deus.

Ao entendermos a evangelização como um propósito e um dever não podemos perder a dimensão do privilégio. Mesmo sendo uma ordem o ide como registra Marcos tem que se encarnado de tal forma que seja como o transpirar da Igreja e por isto o sentido no original de Mateus “enquanto você está indo”. O privilégio de pregar é tão grande que os anjos desejariam fazê-lo, mas não é dado a eles, mas sim a Igreja (1 Pe 1:12).

Ganhar almas para Cristo é uma sublime missão. Quantas igrejas estão fechadas em si cheias de atividades, mas não realizando a obra de evangelização e missionária que lhes cabe fazer. Deus em Sua longanimidade está dando oportunidade a outras ovelhas. Jesus disse: “Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor” (Jo 10:16).  Evangelização e Missões estão no coração de Deus e não pode estar fora do coração da Igreja. David Livingstone disse: “Deus tinha um único filho e fez dele um missionário”.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s