Arquivo da categoria: Natal

A ESSÊNCIA DO NATAL.

jesus_cristo_natal

Na ânsia e agitação trazidos pelas festas de fim de ano às vezes desprezamos as lições que devemos sempre guardar acerca do Natal. Elementos estranhos penetram na comemoração natalina fazendo-nos perder o sentido de existir a comemoração.

O natal? O nascimento de Jesus? Não foi acontecido no passado? Foi. Mas, O Espírito Santo que concebeu no ventre de Maria – Jesus, continua atuando na história da humanidade agora como glorificador do Filho de Deus, O Salvador. Portanto, não se pode perder de vista que Deus tomou a forma de homem, deixando a Sua Glória e fazendo-se um de nós. Um de nós. Não se pode perder a essência do natal.

Devemos discernir a essência sem se distrair com as pirotecnias que envolvem as festas deste mundo. Sem se perder entre os presentes. Nem se desvirtuar nas barbas do chamado papai Noel. Natal é Jesus. Natal é Vida vencendo o espírito da morte. Natal aponta para cruz. Natal fala da ressurreição. Natal fala que haverá uma segunda vinda de Cristo, agora em Plena Glória. Aquele que como homem nasceu na estrebaria voltará para buscar a sua igreja pisando as nuvens.

O natal não pode ser medido pela mesa farta ou não. Natal só é natal se houver Jesus no coração, na mente e nas atitudes. Tudo decorrerá da presença de Jesus nos corações, nas mentes e nos espíritos. Tendo Jesus haverá de fato Natal. Se Ele faltar é uma festa sem o sentido da festa. É festa por festa, que terminará, e depois será necessário tomar remédio para se fazer uma boa digestão. Tendo Jesus na vida o natal não termina. Sempre será natal, pois se tem a Vida Eterna que Jesus veio dar.

Comemore o Natal com a essência do Natal – Jesus.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

É CERTO CELEBRAR O NATAL?

 

natal

Sim, é uma festa cristã! A ala evangélica mais “fundamentalista” alega que o Natal é uma festa pagã, mas isso é um grande equívoco.

É verdade que a Bíblia não ordena a comemoração do Natal, mas o nascimento de Jesus foi celebrado até pelos anjos segundo a Bíblia, e dois anos após seu nascimento os magos do Oriente vieram celebrar também.

Além disso, desde os primórdios os cristãos celebravam o nascimento de Jesus — cada região celebrava numa data do ano. Os cristãos orientais (que mais tarde passaram a se chamar ortodoxos) celebravam e ainda celebram em 06/01. E isso bem antes de Constantino ser Imperador.

No reinado do Imperador Constantino o Natal foi unificado no dia 25/12 para os cristãos do Ocidente, visando combater uma festa pagã dos romanos (o dia do Sol Invicto). Não foi para disfarçar, mas para combater.

Sabemos que Jesus não nasceu em 25/12, mas celebramos o Natal nessa data pois não há nada de errado nisso. Pelo contrário, é uma época do ano em que as pessoas se abrem para o amor de Deus.

E O PAPAI NOEL E OS DUENDES? É CERTO O CRISTÃO DECORAR A CASA COM PAPAI NOEL OU ENSINAR SEUS FILHOS A ACREDITAR NO “BOM VELHINHO”?

Esses personagens não tem nada haver com o Natal cristão! São mitos populares fabricados para roubar o sentido do Natal.

Dede a criação do Papai Noel em 1822 o Natal vem deixando de ser a celebração do nascimento de Jesus para ser a noite do Papai Noel. Ou seja, a sociedade secular se apropriou de uma festa religiosa dando-lhe outro sentido totalmente diferente.

Graças ao Noel as crianças de hoje (mesmo cristãs) quase não lembram que o Natal comemora o nascimento de Jesus. Faça um teste simples: se você tem filhos, pergunte a eles por que comemoramos o Natal. Isso vai dizer muito sobre a influencia que você tem exercido sobre eles como pai cristão.

De nada adianta um cristão falar aos outros do “verdadeiro sentido do Natal” se ao mesmo tempo ensina seus filhos a acreditar em Papai Noel, fazer pedidos a um ser “mitológico” que traz presentes, dizer que a criança precisa se comportar senão o Papai Noel não trará presentes, levar os filhos para tirar foto com o “bom velhinho” no shopping, etc. Isso tudo não cabe a um cristão.

Fonte: Confraria Pentecostal

Divulgação: www.juliosevero.com (Foi postado no blog do irmão Julio Severo no dia 24\12\2013).

A VITÓRIA DE DEUS SOBRE O ANTINATAL.

media_nascimento-de-jesus-99935

As informações que temos acerca do nascimento de Jesus mostram que o natal sofre o antagonismo do anti-natal. Enquanto celebramos o nascimento e a vida, a morte e a perseguição se fazem presentes.

Ao lermos os jornais percebemos estes dois espíritos presentes. São notícias sobre a alegria do natal, mas também sobre morte, violência e oposição. Quem vence a batalha? Vida ou morte? Natal ou anti-natal? Jesus ou Herodes?

Esse espírito do anti-natal foi personificado por Herodes, o Grande. Ele como monarca desfrutou de uma impunidade quase absoluta. Um dos seus primeiros atos no governo foi assassinar quarenta e cinco membros do Sinédrio. Também matou seu sogro e cunhado. Forjou um julgamento para matar sua esposa Mariana, e depois matou três de seus filhos. César Augusto disse que era melhor ser porco de Herodes do que seu filho (porque ele não comia carne de porco). Herodes, um pouco  antes de  morrer, mandou matar as pessoas mais representativas do seu reino para que houvesse choro no dia de sua morte. Morreu aos setenta anos e houve alegria por parte do povo no dia da sua morte. Jesus nasceu no fim da vida de Herodes, quando esse julgava seus  rivais eliminados, e quando suas perturbações domésticas chegaram ao auge. Foi Herodes que ordenou a matança dos inocentes para tentar eliminar Jesus. Mas quem venceu: o Natal ou anti-natal? Foi Deus que venceu o anti-natal.

Vejamos como foi a vitória:

Deus tinha ciência dos planos de Herodes tanto que enviou um anjo a José para  avisá-lo em sonhos (Mt 2.13). Os planos herodianos não pegaram Deus de supresa.

Os percalços no início da vida de Jesus estavam nos planos de Deus (Mt 2.15, 17 e 23) Mateus escreveu que as coisas aconteceram “para que se cumprisse o que foi dito”. Num olhar superficial poderíamos pensar que Jesus estava sendo vítima das circunstâncias, mas tudo era conhecido por Deus e estava nos planos dEle.

Deus cumpre suas promessas (Mt 2.15, 17 e 23). Os percalços e a vitória de Jesus sobre Herodes já estava profetizado. “Nenhuma das Palavras proferidas por  Deus cairam por Terra”. Tudo se cumpriu e sempre se cumpre.

Os poderes humanos têm o seu fim (Mt 2.20). Herodes morreu e Jesus sobreviveu. “O júbilo dos ímpios é breve…” e efêmero .

Deus sempre triunfa até em momentos que parecem tragédia. O zigue-zague que José, Maria e Jesus fizeram entre a Judéia, Egito, novamente Judéia e Nazaré estavam no plano de Deus. Deus triunfou. Eles triunfaram e arrogância herodiana sucumbiu.

Meu irmão celebre o nascimento de Jesus tendo a consciência da oposição, porém, sem temê-la. Porque em Deus você triunfará sobre esse espírito herodiano, de morte, antinatalício que tão perto nos rodeia. A nossa vida está nas mãos de Deus. Todas as coisas Ele fará cooperar para o bem. Confie que a Vida Eterna, que você tem em Jesus, triunfará sobre a Morte e os percalços da caminhada. Neste natal não fique assobrado com as ações do “Herodes”, mas fique grato porque O Emanuel nasceu de uma virgem e completou a obra de Deus para que veio. Tudo foi consumado e Herodes foi derrotado.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

O VERDADEIRO NATAL.

2733601493_75d0644324

Lucas capítulo 2 versículos 8 a 14 registra a anunciação do anjo do Senhor aos pastores sobre o nascimento de Jesus. Os pastores eram considerados simples e rudimentares pela sociedade daquela época, entretanto Deus escolheu as coisas fracas e loucas para confundir os “grandes” desse mundo. Na mensagem do anjo encontramos características do verdadeiro natal. Vejamos, quais são:

Primeira, no verdadeiro natal não há medo. “ Não temais…”

A mensagem do natal expulsa a imperfeição do medo. Deus mostra o que é o verdadeiro amor, e o verdadeiro amor suplanta o medo. Quem tem medo não ama. A relação com Deus não é agora baseada no receio do castigo divino, mas sim na convicção de que a justiça divina foi satisfeita com o advento e sacrifício de Jesus.

Segunda, no verdadeiro natal há boas novas. “ porque eis aqui vos trago novas …”.

No Natal há a proclamação da boa notícia divina aos homens. A boa notícia da nova aliança. Deus ofereceu aos homens a possibilidade de se viver uma nova vida, cheia de esperança, fé e amor. A vida baseada em ritos e normas não satisfaz, e é insuficiente para alcançar a Deus. Só crendo nas boas novas de salvação é que alcançaremos o céu.

Terceira, no verdadeiro natal há grande alegria. “novas de grande alegria…”.

A chegada do Salvador, do Messias prometido, traz grande contentamento. A esperança alcançada, a promessa cumprida, traz a alegria de Deus que é duradoura. A alegria da salvação é perene e resiste a períodos adversos.

Quarta, no verdadeiro natal há salvação. “ Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador…”.

A salvação é a marca do natal. Anunciamos o Salvador. Aquele menino era Deus encarnado identificando-se com o homem para ser o sacrifício vicário. Só desfruta o verdadeiro natal aquele que conhece Jesus como seu salvador pessoal. Jesus é o Salvador da humanidade.

Quinta, no verdadeiro natal, Jesus é o Senhor. “ … que é Cristo, o Senhor…”.

No verdadeiro natal não é o papai Noel que é o senhor da festa. Não é o comércio o principal motivo. No verdadeiro natal a majestade e o senhorio de Cristo devem ser reafirmados. Jesus é o Senhor. Será que na sua ceia de natal o Senhorio de Jesus é manifesto?

Sexta, no verdadeiro natal o louvor e a glória pertencem a Deus. “E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas… ”.

Sem dúvida que no verdadeiro natal ocorrerá a glorificação de Deus e não dos homens. As luzes opacas das árvores de natal não se podem comparar com a glória que irradia de Jesus. Os símbolos e mitos não são comparáveis com a glória do Rei dos Reis. Como diz o cântico: “O Rei dos reis nasceu hoje é natal…”.

Sétima, no verdadeiro natal há paz na terra entre os homens. “…Paz na terra, boa vontade para com os homens”.

A contenda, a guerra e o ódio devem desaparecer diante do espírito natalino. O natal proclama a reconciliação de Deus com os homens, e a reconciliação de homens com homens. Este é o natal!

Observe na anunciação do anjo aos pastores os elementos e características do verdadeiro natal. Você quer conhecer o verdadeiro natal? Conheça a Jesus! Quer celebrar o verdadeiro natal? Jesus seja o Senhor da sua vida.

(O artigo escrito é do Pr. Eber Jamil, dono do blog).

NATAL PIRATA.

 

papai_noel Colocaram na comunidade calmo, sereno e tranquilo um bom texto sobre o natal. Resolvi transcrever aqui. Não conheço o autor pessoalmente. Sei que seu nome é  Pr. Joel Baptista de Souza. Gostei do texto por isso colocarei  abaixo:

“ Originalmente o termo pirata foi usado para designar os marinheiros que roubavam ouro e demais joias e riquezas dos navios espanhóis (AURELIO, 1986). Ou seja, pirata era aquele que roubava o fruto do trabalho de outrem.
Hoje em dia, o termo ganhou mais força para designar, também aquilo que é enganoso, falsificado, mentiroso, e, por excelência, criminoso.
E daí… piratearam o natal de Jesus!
O pirateado ficou tão mais propagado que muitos, inclusive, alguns cristãos, na prática não o vê como falso, ao ponto de ensiná-lo aos seus próprios filhos! MEU DEUS
Preste atenção:
No natal verdadeiro há uma criança numa simples manjedoura. No falso, enganoso e mentiroso – o Natal Pirata, há um velho gordo sentado num trenó e, vê se pode?! com renas que voam!
No natal verdadeiro, autêntico e original, há o presente de Deus para os homens: Jesus Cristo!
No falso, mentiroso e fraudulento Natal Pirata, há presentes de homens para homens:
Papai Noel! O Pirata Mor!
Na mensagem do natal fraudulento, enganoso e mentiroso – natal pirata: É noel sentado no trono dos shoppings para iludir criancinhas inocentes levadas por homens e mulheres de boas intenções (disso dizem: o inferno está cheio).
Na mensagem do natal autêntico original e verdadeiro, é Jesus, o cristo para morar no trono dos corações dos "Homens de Boa Vontade!"
Ao contrário das mercadorias pirateadas, que são muito mais baratas, o Natal Pirata é muito mais caro do que o orginal, para celebrá-lo bem você precisa de muito dinheiro!
Porém, para celebrar o natal verdadeiro, o de Jesus, basta apenas corações agradecidos e lábios cheios de louvor a Deus pelo ser presente ao mundo: natal autêntico, verdadeiro e genuíno:
JESUS, O FILHO DO DEUS VIVO!
Homens e mulheres de boa vontade, PAZ!”

O CHAMADO DE MARIA.

 

Gravuras_Evangelho_O%20Novo%20Testamento_241%20A%20Anunciacao%20O%20Anjo%20Gabriel%20Aparece%20a%20Maria Lucas 1

26 E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. 28 E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. 29 E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. 30 Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. 31 E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pór-lhe-ás o nome de Jesus. 32 Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; 33 E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. 34 E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? 35 E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. 36 E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; 37 Porque para Deus nada é impossível. 38 Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.

Se eu fosse chamado para pregar sobre o chamado ministerial, pensaria logo em Moisés, Jeremias, Isaías e Gideão. Em minha opinião são as passagens mais clássicas de chamada ministerial. Entretanto, fiz uma leitura de Lucas sobre o Natal, e me deparei com a passagem acima, onde o anjo Gabriel fala a Maria sobre a sua missão. Encontrei neste diálogo também uma chamada ministerial, que no caso de Maria envolvia a maternidade. Elementos que encontramos na chamada de Moisés, Jeremias, Isaías e Gideão, encontramos na chamada de Maria. Quero em forma de esboço, destacar as principais características do chamamento de Maria.

1◦) Maria foi escolhida por Deus.Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres.”

Dentre as mulheres da terra, Maria foi “pinçada” por Deus e escolhida para ser a mãe de Jesus. Assim todo aquele que é chamado por Deus também é um escolhido. O critério para a escolha é a Graça de Deus (agraciada), ou seja, um favor imerecido. O vocacionado por Deus precisa ser humilde. Precisa reconhecer que Deus por sua graça o escolheu.

2◦) O receio de não corresponder ao chamado. E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus.”

Maria estranhou as palavras do anjo e teve receio. Na Bíblia vemos que os vocacionados olham para suas habilidades e não se acham a altura da missão. Moisés, Jeremias, Isaías e Gideão também acharam isto. Entretanto, como Gabriel disse a Maria é uma escolha da Graça de Deus. O chamamento não é meritório, mas sim, uma escolha deliberada da Graça de Deus.

3◦) A missão terá repercussões abrangentes e eternas. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pór-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.”.

A tarefa dada a Maria tinha implicações abrangentes e eternas. Às vezes achamos que o nosso chamado está restrito a certo “gueto” e “viela”, porém aquilo que se sucederia em Belém, atingiu todo planeta. Não podemos restringir o poder de Deus a certos espaços. Quando ganhamos uma vida para Jesus isto tem repercussões abrangentes e eternas.

4◦) A capacitação vem do Espírito de Deus. E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível.”

Maria era virgem, como ela poderia gerar? O anjo responde: o Espírito do Senhor fará isto. A capacitação do vocacionado vem do Espírito. Os receios e os sentimentos de inadequação do vocacionado são vencidos pela capacitação sobrenatural do Espírito. Para Deus não há impossível.

5◦) O vocacionado precisa ser disponível e pronto para cumprir a missão. Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.”

Maria se dispôs como serva. Entendeu sua vocação e mostrou disposição em cumprir cabalmente o seu ministério. Mostrou ser obediente e disse: eis me aqui. Você, meu irmão e irmã, deixem os receios de lado e obedeça. O Senhor será contigo e O Espírito Santo te capacitará.

(O autor do texto é o Pr Eber Jamil, dono do blog).

HÁ LUGAR PARA CRISTO!

 

jose e maria No ano zero da era cristã houve uma ordem dada por César Augusto para que todas as pessoas se alistassem. José e sua esposa Maria, que estava grávida, tiveram que fazer uma viagem de 160 km de Nazaré a Belém a fim de se alistarem. Quão difícil e penosa foi aquela viagem. Ao chegarem a seu destino encontraram pousadas e casas superlotadas. Batiam de porta em porta mas ouviam a mesma resposta: não há lugar! E procuravam e procuravam… Maria a qualquer momento poderia dar à luz. Até que ufa! Finalmente encontraram uma estalagem que tinha um estábulo. Sim, foi ali num lugar destinado aos animais, envolto em panos, sobre um berço de palha que Jesus nasceu.

Este fato histórico ímpar não deve se repetir. Devíamos aprender com a história, mas o que temos visto é este fato histórico se repetindo. As casas continuam superlotadas. Papai Noel, duendes, mitos e lendas enchem as casas? Onde está Jesus? O verdadeiro sentido do natal. Em certas ceias de natal – Jesus estará do lado de fora. Lembre que Ele está à porta, batendo e falando: “Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”. Assim na nossa ceia estaremos com Jesus. Em nossas casas Deus quer ouvir a resposta: Há lugar para Cristo!

(O autor do artigo é o Pr Eber Jamil, dono do blog).