Arquivo da categoria: Paz

PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS.

pai e filho

Aprendemos na oração modelo que a oração deve se basear na Paternidade Divina e na verdade que Deus é Pai de todos os que creem em Jesus. Para o judeu o nome de Deus era algo tão Digno, porém tão distante que a intimidade na oração que Jesus ensinou confrontou o entendimento da época. Pode parecer “chover no molhado” afirmar, mas muitos não compreendem até hoje a oração modelo com seus elementos e significados. A oração é um recurso espiritual que muitos não se utilizam ou distorcem com seus pragmatismos. Entretanto, ao iniciar chamando-O de Pai Jesus nos ensinou que precisamos deixar a superficialidade e aprofundar no relacionamento com Deus. O relacionamento com Deus precisa ser algo denso como é o pai com um filho porque os que creem são de fato filhos por adoção.

Paulo ensina que O Espírito Santo clama em nós “Abba”., que é uma palavra em aramaico e era de uso diário dita num ambiente familiar indicando a intimidade que devemos ter com Deus. Nenhum judeu se atreveria a dirigir-se a Deus dessa forma. O “Abba” é como se fosse o nosso “papai”. Revolucionário para a época e até para os dias de hoje esta visão acerca da oração.

O Espírito Santo, segundo o mesmo Paulo, testifica no crente o fato de ser esse um filho de Deus. John Wesley numa viagem missionária teve sua vida mudada quando entendeu a doutrina da testificação do Espírito Santo influenciado pelos Morávios. Portanto, percebemos o quão é o interesse de Deus que oremos e vivamos como filhos de Deus se cremos em Jesus. Não podemos agir e nem orar como bastardos, mas sim como filho, que de fato somos se recebemos Jesus como Salvador e Senhor.

A oração modelo mostra também a necessidade de vivenciar o relacionamento comunitário com o outro e não usar a oração para fins egoístas que só visam o deleite pessoal em detrimento dos seus relacionamentos com Deus e o próximo. Tiago asseverou que quem faz assim pede mal e por isto não é atendido por Deus. Hoje se “cunhou” popularmente o termo “oração contrária”, que é praticamente uma espécie de feitiçaria, porque pensa que um crente possa orar contra o outro, mas o Deus que ensinou a orar “Pai nosso” atenderá um mal pedido que visa o mal do outro? Obviamente que O Deus Bondoso não faria isto. Então, de fato não existe oração contrária, pois tal não pode ser chamada de oração.

Sabendo dessa verdade, podemos pedir, buscar e bater em nossas orações, porque temos um Pai que nos ouve e se preocupa conosco. Jesus falou que o pai terreno mesmo sendo mau, na maioria das vezes, dá boas dádivas aos seus filhos, e Jesus comparou afirmando que se o pai terreno faz isto quanto mais o Pai Celestial dará aos seus filhos quando pedirem bem. Portanto, a Paternidade de Deus é citada por Jesus como um incentivo a oração. Um dos pedidos que Jesus se refere é acerca do Espírito Santo que visa glorificar a Cristo e como já afirmei testifica ao crente que é filho de Deus.

Entretanto, a expressão “Pai Nosso que está nos céus” não mostra somente o sentido de Deus para conosco, o sentido nosso para com o próximo, mas o sentido nosso para com Ele. Podemos afirmar que é uma expressão de adoração que exalta a Sublimidade de Deus acima de tudo que existe na terra e que apesar disto nos adotou como filhos através de Jesus, está disposto a relacionar-se conosco e disposto a ouvir nossas necessidades espirituais, emocionais, morais e físicas.

Jesus orou afirmando que Deus é Pai “que está nos céus”, ou seja, diferente do Pai terreno. Seja qual for a nossa visão acerca da figura paterna boa ou ruim Deus como Pai é superior a tudo que conhecemos a nível terreno. Costumamos misturar as estações, ou seja, o terreno com o espiritual, e temos dificuldades no nosso relacionamento com Deus como Pai Celestial. Portanto, precisamos meditar na Palavra dia e noite para que nossa mente seja renovada e compreendamos a imensa distinção de Deus como Pai em relação aos terrenos. O profeta falou que os caminhos de Deus são mais altos do que os nossos, como são também os Seus pensamentos então permitamos as nossas emoções o aprendizado da Paternidade superior de Deus.

Nesta oração percebemos que uma das maiores necessidades humanas é suprida que é o pertencimento. O Pai é Nosso. Portanto, o crente tem a Deus como Pai e muitos irmãos na fé que compõem a família de Deus. A crise existencial da falta de sentido, de propósito acaba logo no início da oração se entendermos o significado da plenitude que é ser filho de Deus.

Aconselho a você se aprofundar na vida de oração. Ela é mais do que uma mera obrigação religiosa. Ela é mais do que um ritual ritualístico. Ela é mais do que uma forma para se obter as bênçãos que deseja de Deus. Ela é relacionamento com Deus. Ele é diálogo. Ela mostra que há vida e comunhão. Pratique, aprofunde a sua vida de oração.

( O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

A FELICIDADE DOS QUE CHORAM.

choro

Bem-aventurados os que choram porque serão consolados.  Esta bem-aventurança de Jesus afirma que na Vida Cristã a felicidade passa pelo choro. Nós imaginamos, muitas vezes, que só existe o sorriso na vida cristã, mas existem lágrimas, e por sinal, especificamente essas lágrimas são poucas derramadas. Muita gente que serve a Deus esquece ou não sabe que estas lágrimas são necessárias e vitais para a vida com Deus. Se não sentirmos esse tipo de tristeza não seremos realmente felizes. Parece uma afirmação paradoxal, mas conforme eu for expondo você entenderá o significado.

De que choro Jesus falou? O choro de arrependimento pelos nossos pecados. Paulo escrevendo aos coríntios fala deste tipo de tristeza como uma tristeza segundo Deus e quando escreveu sobre esta tristeza contrastou com a tristeza segundo o mundo que leva a morte. Na Bíblia há muitos exemplos destes dois tipos de tristezas. Pedro por ter negado a Jesus sentiu a tristeza segundo Deus e se arrependeu. Judas por ter traído a Jesus sentiu a tristeza segundo o mundo e enforcou-se. Davi diante dos pecados que não saiam diante dele ele sentiu a tristeza segundo Deus e se arrependeu. Saul não sentiu a tristeza segundo Deus e de derrocada em derrocada acabou tirando a própria vida.

A tristeza segundo Deus nos põe cara a cara com a nossa concupiscência, que é a nossa inclinação para o pecado, e nos põe cara a cara com a incapacidade de solucionar o problema do pecado, o que nos leva a Deus pelo Espírito Santo como único que pode nos perdoar através de Jesus. O choro segundo o mundo nos faz cometer antropofagia em nós mesmos porque quando não buscarmos Deus como solução violentamos a nós mesmos com o sentimento de remorso.

Podemos entender o tipo de choro que Jesus se referiu quando observarmos quando próprio Jesus chorou e uma das duas vezes foi quando Jesus viu o choro das irmãs de Lázaro pela morte dele e pela comoção da multidão em torno do acontecimento. Jesus viveu assim o que Paulo mais tarde recomendaria: chorai com os que choram. Jesus sentiu a dor do outro. Percebeu o drama que é para o ser humano perder alguém. Mesmo sabendo que haveria de ressuscitar Lázaro não deixou se conturbar pelo dor alheia. Bem-aventurados são os que choram com os que choram.

A outra vez que Jesus chorou somente Lucas relata o fato. Aproximando-se de Jerusalém Ele chora afirmando que Jerusalém seria destruída pelos inimigos o que aconteceu em 70 d.C., quando as tropas romanas cercaram e destruíram a cidade. Jesus chorou pela falta de senso de oportunidade que Jerusalém teve com a sua entrada triunfal e desperdiçando a oportunidade de arrependimento. O choro foi pela calamidade, pelo desperdício, pela obstinação da cidade.

Voltando ao entendimento sobre a tristeza segundo Deus creio que a temos quando choramos pelos nossos pecados, dos outros e pela obstinação para o mal do próximo. Temos os exemplos da situação de Jesus acerca de Jerusalém e a comoção que Daniel teve registrada no seu livro com seu nome e autoria no capítulo 9. Daniel faz uma oração e confessa a Deus seus pecados e os do seu povo. Ele estava preocupado com a profecia de Jeremias acerca do cativeiro que duraria 70 anos, que já chegava ao fim, e pediu a restauração do Templo e do Povo a Deus. Chorar pelos pecados dos outros também é uma tristeza segundo Deus e por isto bem-aventurada.

A bem-aventurança inclui uma promessa: eles serão consolados. A consolação do choro dentre os significados podemos destacar seu caráter fisiológico. Ao chorar fisicamente depois sentimos um certo alívio. O choro é no seu aspecto fisiológico um certo escape para a dor do corpo ou da alma. A tristeza segundo Deus, que pode nos levar o choro, é a primeira etapa do arrependimento e havendo-o há depois a confissão, o abandono e novo conduta, ou seja, o penitente é consolado. O Resultado será o consolo e a felicidade de ser perdoado. O perdão não acontece por causa do choro, mas por causa do sacrifício de Jesus. Entretanto, o arrependimento, muitas vezes, manifesta-se através das lágrimas. Agora quando a tristeza segundo Deus é pelo dor alheia habilita a apoiar o triste no seu momento de aflição recebendo a consolação ao ver o outro de alguma forma sendo ajudado. Quanto aos que choram pelos pecados alheios estes tornam-se verdadeiros intercessores que não oram com formalidade, mas com amor e entrega, encontrando o consolo no amor de Deus que está compartilhando pelo próximo.

Concluindo podemos afirmar que a Bem-aventurança deixa implícita que quando os que choram segundo Deus estão em sintonia com Deus e por isto são consolados. Este choro é sinal de inquietude no relacionamento com Deus, com relação a si mesmo ou com o próximo e este é bem-aventurado. No futuro próximo a bem-aventurança também se refere ao estado final de Glória no céu, onde o consolo de Cristo será completo, pois o pecado não existirá mais. O choro segundo Deus pode ser incialmente de tristeza, mas a promessa para os que choram assim é consolação, ou seja, a felicidade segundo Deus passa pelo choro.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

TRÊS PALAVRAS IMPORTANTES PARA O NOVO ANO.

ano novo

Estamos no início de um novo ano creio que três palavras são importantes nesta ocasião: REFLEXÃO, GRATIDÃO E ESPERANÇA.

A REFLEXÃO é importante porque final de ano é tempo de retrospectiva, de balanço, para avaliarmos como foi o nosso ano. Precisamos ponderar sobre os nossos erros e acertos para planejarmos as nossas ações para o ano que se inicia.

A GRATIDÃO é fundamental. Ser grato pela vida, por mais um ano que Deus concedeu, e mesmo que tenhamos atravessado tempos difíceis a gratidão é sinal de cura, de que apesar das lutas o nosso coração não foi azedado.

A ESPERANÇA é algo que sempre deve nos mover para frente. Teremos, se Deus quiser, mais um ano pela frente. Portanto, a esperança será uma mola propulsora para avançarmos e conquistarmos os propósitos de Deus para nossas vidas.

Minha oração é que nesta virada de ano não te falte REFLEXÃO, GRATIDÃO E ESPERANÇA. Pensemos nestas palavras:

A REFLEXÃO é sempre necessária! Deus quer que façamos um autoexame a respeito da nossa vida para avaliarmos como anda nossa caminhada. Assim é muito pertinente quando isto acontece no término de um ano e no início de outro. Paulo por orientação de Jesus nos disse que antes de participarmos da ceia do Senhor devemos nos examinar a nós mesmos para que possamos discernir o corpo do Senhor que é simbolizado na ceia.

Como o autoexame físico nos ajuda a descobrir certas doenças, por sua vez, a reflexão sobre a nossa vida nos ajuda a pensarmos sobre a qualidade com que vivemos. Como anda a sua vida com Deus e com o próximo? Como foi para você o ano que passou? Quais foram seus erros e acertos? Aonde você precisa melhorar? As perguntas podem se multiplicar!

Creio que datas como estas são momentos para pararmos e avaliarmos o que passou e projetarmos aquilo que virá. Projetarmos de forma sempre dependente de Deus sem arrogância, sem uma autoconfiança exacerbada, mas ciente que sem Deus nada podemos fazer. Faça um autoexame!

Comece outro ano buscando a sabedoria de Deus, pois Ele dá liberalmente e aplique ela em sua vida praticando a prudência, a singeleza e a fé diariamente em todos os seus passos.

A GRATIDÃO precisa ser algo sempre presente em nossas vidas. Ela, sem dúvida, revela muito como está a nossa vida e quem nós somos. Não pode ser coisa do momento, mas uma postura constante. No terminar e iniciar um novo ano temos que ser gratos mesmo que o ano tenha sido difícil e mesmo que as perspectivas para este ano não sejam tão alvissareiras. Paulo recomendou pelo Espírito Santo: Em tudo dai graças, ou seja, nós que estamos em Cristo precisamos em todas as circunstâncias não deixar de ser grato.

A gratidão de quem vive em Cristo mostra que interiormente ele está pacificado e sabe que Deus tem o comando da história. Por mais que enfrentemos as supressas da vida, o fato de estar vivo e mais saber que não vivemos numa solidão existencial porque Deus está conosco em Jesus são razões mais do que suficientes para agradecermos.

Sem dúvida entre ter nascido e não ter nunca existido é preferível ter nascido. Somado o fato de ter sido achado por Deus em Jesus Cristo onde se encontrou o sentido da vida faz com que a vida seja elevada em muito a sua qualidade.

Exercite a gratidão. Pratique-a porque agradará a Deus, beneficiará a si mesmo e abençoará seus relacionamentos. Ela adoça a vida. Mostra que internamente a alma está curada. Gratidão é uma grande palavra para o ano novo!

O calendário, a noção do tempo que temos faz com que muitas vezes naturalmente na virada do ano a nossa expectativa acerca do futuro seja potencializada como se algo acontecesse todas vezes que mudamos de ano. Entretanto, a ESPERANÇA que é esperança supera as datas especiais e persevera em meio aos embates. A figura bíblica da esperança é a âncora, que ajuda ao navio se fixar em meio as dificuldades do mar e aportar em lugar seguro. Sem a âncora o navio fica sujeito aos caprichos do mar, do vento e assim fica a pessoa que não tem esperança à mercê dos ventos e da instabilidade das circunstâncias.

Se de alguma forma a esperança for fragilizada a vida também é. Se a esperança morre em vida é como uma morte em vida acontecesse também. Portanto, apegue-se em Deus e em Sua Palavra que consola e traz esperança. As promessas do Senhor são infalíveis! A partir do momento que cremos em Jesus nascemos de novo e ao nascermos espiritualmente é gerado em nós uma esperança viva porque Jesus Cristo ressuscitou dos mortos.

A esperança cristã não é vaga. Ela vem da fé, que veio da audição da Palavra de Deus, que é a Verdade. Portanto, podemos iniciar mais um ano nos sentindo seguros, pois os que creem em Cristo estão nas mãos dEle. Pode até “chover canivetes”, mas ninguém nos tirará das suas poderosas mãos. Seja bem-vindo Ano Novo!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

O MENINO COM CINCO NOMES.

nascimento-de-jesus-14

Segundo o google o nome mais comprido do mundo é de um escocês que tem 29 palavras e 197 letras. Em Isaías 9:6 temos um dos grandes pronunciamentos messiânicos, e as tentativas de achar um contexto na época de Isaías não são bem-sucedidas, pois se trata, de fato, uma profecia. Aqui o profeta fala que O Messias, que é Rei, traria a paz e o fim da contenda causada pelo pecado e a injustiça. O versículo é este:

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Sobre o nascimento desse menino vemos que em Isaías 7:14 um dos nomes referidos dele seria EMANUEL, que não vamos tratar aqui, e como cumprimento da profecia o nascimento seria de uma virgem. Ligada ao menino também está a ideia da encarnação, de Deus tomando a forma de homem, que é uma das grandes doutrinas cristãs. O Messias tomaria a natureza humana para compartilhar com os que haveriam de crer nEle a Vida Eterna, que é a vida de Deus.

O governo estaria sobre os seus ombros significando que o Messias viria da linhagem de Davi como já havia sido prometido por Deus e que Ele exerceria o Seu reinado de forma legítima tendo a carga da autoridade sobre Si.

O Profeta afirma que Ele teria cinco nomes. Todos exaltando a Majestade e Deidade do Messias. Na verdade, devemos pensar nesses nomes como uma série de títulos reais que mostravam a Sua Sublimidade sobre todos.

O nome MARAVILHOSO geralmente significa sobrenatural. Na história bíblica há narrativas de muitas maravilhas como a libertação do povo de Israel do Egito. Foram tantos os sinais na saída do Egito e na travessia do deserto! Mas a profecia diz, que o menino não só faria maravilhas, Ele em si seria maravilhoso. O Fato de Deus ter tomado a forma e natureza humana, e isto foi o que aconteceu com Cristo, mostra o quanto Ele é maravilhoso. Tem maravilha maior do que está? Deus tomando a forma de homem! Se um homem para salvar as formigas se tornasse uma formiga isto não seria algo grande? Seria. Mas, Deus tomar a forma e natureza humana foi maior do que isto. Quando Jesus curou o paralítico de cafarnaum levado por quatro amigos e perdoou seus pecados, todos exclamaram: Jamais vimos coisas assim. Não existe algo mais maravilhoso que Jesus.

O nome CONSELHEIRO demonstra a sabedoria de Cristo, o Messias. Já aos doze anos Jesus discutia acerca de lei de Deus com desenvoltura com os doutores deixando-os boquiabertos. Paulo chama Cristo de sabedoria de Deus. Jesus durante seu ministério se distinguiu e muito dos escribas e fariseus. Muitos ficavam maravilhados com sua doutrina porque ensinava com autoridade. Uma certa ocasião ensinando na sinagoga foi interpelado por um homem endemoninhado e o libertou. Ele combinava doutrina com prática. Foi posto muitas vezes em situações difíceis e sempre tinha a resposta adequada e sábia. No seu ministério trouxe palavras de vida eterna como disse Pedro e ao voltar reinará com sabedoria perfeita.

O nome DEUS FORTE é mais do que afirmar que o menino tinha um poder Divino. É afirmar a deidade do Messias, que foi maior que qualquer expectativa dos judeus. Jesus realizou milagres estupendos e incomparáveis mesmo não se valendo da Plenitude da Divindade que tinha. Ressureições, cura de paralíticos e coxos, cegos, andou por sobre as águas, multiplicou pães e peixes, acalmou tempestades e muito mais. Depois de ter cumprindo o seu ministério e ter sido elevado aos céus mostrou-se ao apóstolo João, que estava preso numa ilha, a Plenitude da Sua Divindade agora glorificada. Afirmou ser para João o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim de todas as coisas, O Deus Todo-Poderoso. É glorificado que voltará para governar a terra por mil anos e depois seu Reino durará para sempre.

O nome PAI DA ETERNIDADE mostra claramente que o menino, o messias é Deus. João não apresenta uma narrativa do nascimento de Jesus e o coloca antes de todas as coisas apresentando-lhe como o Verbo. “No princípio era Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”. Na narrativa de Gênesis podemos dizer que Jesus está descrito como a Palavra que Deus proferia. Nada de errado em chamar o Messias de Pai, apesar dEle ser o Filho, porque Ele, o Pai e o Espírito Santo são um. O próprio João em seu capítulo 1 também afirma: Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nada do que é seria sem Ele. Ao entendermos isto entenderemos que o sentido da vida é glorifica-lo. “Portanto dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. A Ele seja a glória perpetuamente! Amém.”

O nome PRINCÍPE DA PAZ continua a desenvolver a ideia de Majestade do menino, do Messias. Na verdade Jesus veio para que a contenda entre a criatura e o Criador fosse resolvida. O homem dominado pelo pecado está em rebelião contra Deus e até a natureza sente os efeitos de tal contenda.  É em Cristo que encontramos Paz com Deus como está escrito em Romanos 5:1. Nas bem-aventuranças é dito que os filhos de Deus são pacificadores porque aquele que crê no Príncipe da Paz torna-se um embaixador da Paz e da Reconciliação. Como novas criaturas deixamos de contender com Deus, nos tornamos proclamadores e rogamos da parte de Deus, que os outros também se reconciliem com Deus (II Co 5:17-20).

É de ressaltar que tal profecia não é citada no Novo testamento. Mas, é claramente cristológica e promessa messiânica. Ela mostra claramente a Deidade de Cristo e também a humanidade quando diz que um menino seria chamado assim. Portanto, a profecia aborda o estado de humilhação de Cristo quanto ao seu estado também de exaltação.

Percebemos com estas verdades a profundidade do natal. Não foi mais um nascimento. Mas, foi o nascimento, o Verbo se fazendo carne, Deus habitando entre nós, o Tabernáculo e o Templo de carne em osso. Aquilo que os judeus conheciam através dos símbolos proféticos viram face a face. No natal que vejamos como Jesus de fato é e expulsamos de vez o papai Noel que é um intruso, uma mentira, que ilude.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

FRASES POSTADAS NO TWITTER 62.

cruz

As pessoas que vivem numa roda-viva da avareza precisam ver a importância que damos para O Senhor e como o amor aos bens não nos dominam 16\05\2017

 

Nós que cremos em Cristo podemos nos sentir seguros, pois O Evangelho tem fundamento sólido. Tanto que podemos construir nossa vida nEle. 17\05\2017

 

Se porventura você está desanimado atente para as páginas da Bíblia e observe como os servos de Deus enfrentaram lutas e tenha bom ânimo. 18\05\2017

 

A vida de Deus não é mera letra, ou teorização, ela é poderosa, eterna, e está acompanhada de virtudes dadas pelo Espírito Santo. 19\05\2017

 

Não se engane não há solução vinda do homem para a salvação. Somente Cristo é o único caminho para se chegar a Deus! Não entre pelos atalhos! 20\05\2017

 

A verdadeira paz não é ausência de problemas, mas é a quietude interior que enfrenta as circunstâncias com esperança e otimismo. 21\05\2017

 

O Deus que enviou Jesus para nos salvar nos dá poder para vivermos a vida aqui na terra enquanto o porvir não chega. 22\05\2017

 

A evangelização e a oração precisam caminhar juntas. Alguns semeiam, outros intercedem para que os corações sejam preparados para a semeadura 23\05\2018

 

Os “instantes” de dúvida, muitas vezes, nos trazem uma sensação de serem eternos, mas passam. Eterna é a vida que temos em Jesus! Fique firme! – 24\05\2017

 

O desespero às vezes bate a nossa porta, ou parece querer arrombar a porta da nossa vida, mas devemos nos aquietar porque Deus tem o controle – 25\05\2017

(O autor das frases é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

MORDOMIA DO PENSAMENTO.

pensamento5

Pensamos e falamos mais sobre o mau exemplo do que o bom exemplo. Quando pensamos em Ananias, pensamos no Ananias do capítulo 5 de Atos, que mentiu ao Espírito Santo e foi punido por isto. Porém, há o Ananias do capítulo 9, que orou por Paulo, obedecendo a Deus, assim que ele se converteu. Era um homem disponível, que conhecia a voz de Deus. Na vida vamos nos deparar com bons ou maus exemplos. Devemos imitar os bons. Devemos tê-los como boa referência. Usá-los como bons exemplos em nossas conversas. Fiquemos mais impressionados e marcados pelos bons do que pelos maus. “Notícia boa é notícia ruim”? Não deve ser assim. Falemos mais e ocupemos mais a nossa mente com os bons exemplos, dignos de serem tidos como referência.

Paulo alertou aos filipenses que devemos ocupar a nossa mente com bons e virtuosos pensamentos. É alguém que devemos fazer. É um exercício nosso. Somos sujeitos a termos pensamentos nocivos, mas não devemos cultivá-lo. Como exercitamos o físico devemos exercitar a nossa mente com os princípios da Palavra de Deus. Tal atitude coopera em muito para que a Paz de Deus guarde as nossas emoções e pensamentos. Se alguém dissesse para você tomar um copo de veneno diariamente, você tomaria? Quando cultivamos os maus pensamentos é como se fizéssemos isto. Há variadas formas de exposição dos pensamentos malignos que dominam esse mundo. Somos bombardeados todos os dias. Não somos receptáculos que aceitam tudo. Como escreveu Paulo: Examinai tudo e retende o que é bom. A nossa mente não é mais entenebrecida. Não vivemos mais nas trevas. Fomos libertos. Temos a mente de Cristo. Portanto, precisamos nos alimentar diariamente da Palavra de Deus e por ela analisar o que nos é dado para alimentar a nossa mente.

Se assim fizermos, um dos resultados será visto pelo nosso falar. As nossas palavras serão edificantes e construirão valores positivos na vida dos que te cercam. Como Jesus disse: a boca fala do que o coração está cheio. Podemos não chegar a perfeição no falar, mas progrediremos cada vez mais na edificação dos nossos ouvintes e ainda seremos beneficiados, pois comemos dos frutos dos nossos próprios lábios.

A questão do pensamento dita também e muito a qualidade da vida que vivemos. Conflitos, ambiguidades, autoimagem, resultam internamente ou não do tipo de pensamento que temos e cultivamos em nós. O que vem de fora como elogio, ou crítica, será filtrado pelo tipo de pensamento que temos. Tudo isto trará qualidade ou não para a nossa vida. Como está escrito na Bíblia aquilo que você imagina ser é o que você é. Pelo menos, é por isto que você se enxergará no mundo. Portanto, é necessária uma mente cheia da Palavra para que a nossa autoimagem esteja partindo de premissas verdadeira e não falsas sugestionadas por satanás.

O pensamento também resultará em ações. Algumas ações são repentinas, quando acontecem, muitas vezes são resultados das nossas emoções. Mas a maioria das atitudes são resultados de pensamentos cultivados que nutrimos a nossa alma. A batalha entre a carne e o espírito se dá na alma, portanto devemos cuidá-la, alimentando-a com coisas espirituais, para que suas respostas e atitudes sejam condizentes com a Palavra de Deus.

Quando pensamos na mente não podemos pensar de forma passiva. Quando Paulo escreveu: Nisso pensai, mostra que precisamos agir de forma ativa quanto a mordomia do pensamento. Ocupemos a nossa mente com coisas boas e espirituais e a nossa vida terá mais qualidade, mais frutificação no falar e no agir.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

FRASES POSTADAS NO TWITTER 49,

evangelho4

21 de jun de 2015

O amor a Deus nos faz escolher o caminho da coerência, o caminho da Palavra de Deus, que é o manual do Criador.

22 de jun de 2015

A perda do significado da vida é uma espécie de morte em vida. O futuro parece não mais existir e os sonhos falecem.

23 de jun de 2015

O evangelho é capaz de restaurar os que “titubeiam”, os que “oscilam” os que “envergam” e transformá-los em poderosos instrumentos nas mãos de Deus

24 de jun de 2015

Devemos praticar a Bíblia, pois ela foi revelada por Deus e contém a sabedoria Divina. Ela clarifica os caminhos que a vida oferece.

25 de jun de 2015

Nossa confissão deve ser que Jesus é Deus. É o único mediador para se achegar a Deus, e que Ele e O Pai, são um.

26 de jun de 2015

Ser nascido de Deus é ter a vocação para a vitória. É da natureza do filho de Deus vencer o mundo.

27 de jun de 2015

Segurança. Paz. Convicção. São características que podemos ter a partir do momento que seguimos os caminhos justos da Palavra de Deus.

28 de jun de 2015

Deus Pai testemunhou acerca de Jesus e também O Espírito Santo testificou. Os que creem em Jesus tem em si o testemunho, que é a vida eterna

29 de jun de 2015

Ao lermos ou ouvirmos a Palavra de Deus ficamos com nosso interior desnudo, pois ela mostra quem somos, como estamos e o que devemos ser.

30 de jun de 2015

O tempo cronológico é uma noção humana. Deus não está encastelado ao tempo. Passado, presente e futuro, tudo é a mesma coisa para Ele.

(O autor das frases é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).