Arquivo da categoria: Religião

 IGREJA:EDIFÍCIO DE DEUS.

Pedras vivas

Paulo usa palavras fortes para se dirigir aos Coríntios chamando-os de carnais, pois havia no meio deles inveja, contenda e dissensões (1 Co 3:1-3). Havia uma grande manifestação dos Dons Espirituais na Igreja, mas não necessariamente o amadurecimento do fruto do Espírito. Paulo nesta mesma epístola ressalta que o evangelho que ele pregou não era através da sabedoria humana, mas de Deus. Portanto, a Igreja não deveria girar em torno de personalidades humanas, mas sim de Cristo.

Para argumentar em prol da unidade da Igreja, Paulo compara a Igreja com um Edifício onde cada crente é uma pedra viva segundo Pedro. Mostrando a interdependência que há entre os membros (pedras) desse edifício.  A Igreja é como uma grande catedral que está sendo construída. O que Paulo usa é uma figura de linguagem natural fazendo paralelo com que acontece espiritualmente. Hoje em dia a ideia da Igreja está ligada a um prédio, mas não é isto que Paulo se referia. Ele tratava da reunião de todas pessoas que eram salvas, quer judeus, quer gentios, ou da reunião das pessoas salvas no seu sentido local, que formavam como que um edifício bem fundamentado. No grego a palavra é oikodome que significa: edifício ou para designar o processo de construção do edifício. Somos o edifício em que Deus está trabalhando. “Tendo por certo isso mesmo, que aquele que começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Jesus Cristo”. Nesta obra de edificação, Deus não trabalha sozinho, ele nos faz trabalhadores junto com Ele (I Co 3:9).

Podemos pensar a Igreja no seu sentido universal ou no sentido local como fazia Paulo.  Ele quando escrevia aos Coríntios capítulo 3 pensava inicialmente no sentido local. Dando destaque a parte mais importante do Edifício que é o alicerce. O qual a Igreja no seu sentido universal já teve lançado por Deus, O Seu Filho Jesus.  A Igreja não é autossustentável. O alicerce da Igreja é Cristo e não um personalidade humana. Como cooperadores de Cristo alguns lançam este fundamento que é Cristo na Igreja local e outros edificam sobre ele. Paulo diz ser um sábio construtor o que devemos ser também. Edificar algo sem Cristo como fundamento é trabalhar em vão. O Edifício de Deus, que é a Igreja, está edificada na Rocha que é Cristo. Tempestades, perseguições e circunstâncias adversas a atingem, mas ela permanece de pé. Portanto, o sustendo de Igreja é O Senhor Jesus. Haverá sempre um remanescente fiel.

Paulo escrevendo aos Efésios esclarece que o fundamento tem como Jesus a pedra principal de esquina, os apóstolos e profetas compondo também o fundamento. Com esta afirmação de Paulo entendemos que a Palavra de Deus como um todo compõe o fundamento tendo Cristo como a Pedra Principal. Quando a Reforma Protestante reafirmou que em matéria e fé as Escrituras são suficientes para conduzir a Igreja reafirmou o fundamento que Paulo se referiu e que não pode ser substituído por outro porque poderá ser chamado de clube, mas não uma Igreja de Jesus Cristo. A Igreja não pode ter um outro fundamento que não seja o revelado nas Escrituras.

Temos que ver como edificamos sobre o fundamento posto por Deus. Se forem boas obras serão aprovadas por Deus,  obras que visam a eternidade, que são a prática do amor cristão, que buscam a Glória de Deus. Pois no Tribunal de Cristo nossas obras serão provadas e o que for de qualidade perecível será destruída. As obras serão provadas pelo fogo. As que permanecerem serão recompensadas com galardões. É importante ressaltar que somente o esforço não é garantia de que se está fazendo corretamente a edificação sobre o fundamento. A qualidade do que fazemos e a motivação com que fazemos também é considerada por Deus. A prova pela qual passarão as nossas obras são as mais justas que podem haver, pois serão realizadas no tribunal de Cristo. Nesse tribunal não haverá condenação, pois será para os justificados pela fé, mas haverá recompensa ou não pelas obras realizadas. Jesus disse em Apocalipse: “…Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

O MENINO COM CINCO NOMES.

nascimento-de-jesus-14

Segundo o google o nome mais comprido do mundo é de um escocês que tem 29 palavras e 197 letras. Em Isaías 9:6 temos um dos grandes pronunciamentos messiânicos, e as tentativas de achar um contexto na época de Isaías não são bem-sucedidas, pois se trata, de fato, uma profecia. Aqui o profeta fala que O Messias, que é Rei, traria a paz e o fim da contenda causada pelo pecado e a injustiça. O versículo é este:

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Sobre o nascimento desse menino vemos que em Isaías 7:14 um dos nomes referidos dele seria EMANUEL, que não vamos tratar aqui, e como cumprimento da profecia o nascimento seria de uma virgem. Ligada ao menino também está a ideia da encarnação, de Deus tomando a forma de homem, que é uma das grandes doutrinas cristãs. O Messias tomaria a natureza humana para compartilhar com os que haveriam de crer nEle a Vida Eterna, que é a vida de Deus.

O governo estaria sobre os seus ombros significando que o Messias viria da linhagem de Davi como já havia sido prometido por Deus e que Ele exerceria o Seu reinado de forma legítima tendo a carga da autoridade sobre Si.

O Profeta afirma que Ele teria cinco nomes. Todos exaltando a Majestade e Deidade do Messias. Na verdade, devemos pensar nesses nomes como uma série de títulos reais que mostravam a Sua Sublimidade sobre todos.

O nome MARAVILHOSO geralmente significa sobrenatural. Na história bíblica há narrativas de muitas maravilhas como a libertação do povo de Israel do Egito. Foram tantos os sinais na saída do Egito e na travessia do deserto! Mas a profecia diz, que o menino não só faria maravilhas, Ele em si seria maravilhoso. O Fato de Deus ter tomado a forma e natureza humana, e isto foi o que aconteceu com Cristo, mostra o quanto Ele é maravilhoso. Tem maravilha maior do que está? Deus tomando a forma de homem! Se um homem para salvar as formigas se tornasse uma formiga isto não seria algo grande? Seria. Mas, Deus tomar a forma e natureza humana foi maior do que isto. Quando Jesus curou o paralítico de cafarnaum levado por quatro amigos e perdoou seus pecados, todos exclamaram: Jamais vimos coisas assim. Não existe algo mais maravilhoso que Jesus.

O nome CONSELHEIRO demonstra a sabedoria de Cristo, o Messias. Já aos doze anos Jesus discutia acerca de lei de Deus com desenvoltura com os doutores deixando-os boquiabertos. Paulo chama Cristo de sabedoria de Deus. Jesus durante seu ministério se distinguiu e muito dos escribas e fariseus. Muitos ficavam maravilhados com sua doutrina porque ensinava com autoridade. Uma certa ocasião ensinando na sinagoga foi interpelado por um homem endemoninhado e o libertou. Ele combinava doutrina com prática. Foi posto muitas vezes em situações difíceis e sempre tinha a resposta adequada e sábia. No seu ministério trouxe palavras de vida eterna como disse Pedro e ao voltar reinará com sabedoria perfeita.

O nome DEUS FORTE é mais do que afirmar que o menino tinha um poder Divino. É afirmar a deidade do Messias, que foi maior que qualquer expectativa dos judeus. Jesus realizou milagres estupendos e incomparáveis mesmo não se valendo da Plenitude da Divindade que tinha. Ressureições, cura de paralíticos e coxos, cegos, andou por sobre as águas, multiplicou pães e peixes, acalmou tempestades e muito mais. Depois de ter cumprindo o seu ministério e ter sido elevado aos céus mostrou-se ao apóstolo João, que estava preso numa ilha, a Plenitude da Sua Divindade agora glorificada. Afirmou ser para João o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim de todas as coisas, O Deus Todo-Poderoso. É glorificado que voltará para governar a terra por mil anos e depois seu Reino durará para sempre.

O nome PAI DA ETERNIDADE mostra claramente que o menino, o messias é Deus. João não apresenta uma narrativa do nascimento de Jesus e o coloca antes de todas as coisas apresentando-lhe como o Verbo. “No princípio era Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”. Na narrativa de Gênesis podemos dizer que Jesus está descrito como a Palavra que Deus proferia. Nada de errado em chamar o Messias de Pai, apesar dEle ser o Filho, porque Ele, o Pai e o Espírito Santo são um. O próprio João em seu capítulo 1 também afirma: Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nada do que é seria sem Ele. Ao entendermos isto entenderemos que o sentido da vida é glorifica-lo. “Portanto dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. A Ele seja a glória perpetuamente! Amém.”

O nome PRINCÍPE DA PAZ continua a desenvolver a ideia de Majestade do menino, do Messias. Na verdade Jesus veio para que a contenda entre a criatura e o Criador fosse resolvida. O homem dominado pelo pecado está em rebelião contra Deus e até a natureza sente os efeitos de tal contenda.  É em Cristo que encontramos Paz com Deus como está escrito em Romanos 5:1. Nas bem-aventuranças é dito que os filhos de Deus são pacificadores porque aquele que crê no Príncipe da Paz torna-se um embaixador da Paz e da Reconciliação. Como novas criaturas deixamos de contender com Deus, nos tornamos proclamadores e rogamos da parte de Deus, que os outros também se reconciliem com Deus (II Co 5:17-20).

É de ressaltar que tal profecia não é citada no Novo testamento. Mas, é claramente cristológica e promessa messiânica. Ela mostra claramente a Deidade de Cristo e também a humanidade quando diz que um menino seria chamado assim. Portanto, a profecia aborda o estado de humilhação de Cristo quanto ao seu estado também de exaltação.

Percebemos com estas verdades a profundidade do natal. Não foi mais um nascimento. Mas, foi o nascimento, o Verbo se fazendo carne, Deus habitando entre nós, o Tabernáculo e o Templo de carne em osso. Aquilo que os judeus conheciam através dos símbolos proféticos viram face a face. No natal que vejamos como Jesus de fato é e expulsamos de vez o papai Noel que é um intruso, uma mentira, que ilude.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

É DANDO QUE SE RECEBE.

presente

A expressão “é dando que se recebe” no seu sentido literal não é bíblica. É uma frase atribuída a São Francisco de Assis em uma oração e muitos a interpretam de vários modos. Na Bíblia o versículo que se aproxima da expressão é Lucas 6:38 –Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo.

Para mim fica evidente que a frase dele no seu sentido original não é utilitarista, egoísta e pragmática como muitos a usam. Ela precisa ser entendida com a palavras de Cristo citada pelo apóstolo Paulo:  “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber” (Atos 20:35).

Não posso negar a lei da colheita citada na Bíblia, que afirma o que o homem semear isto também ceifará. Entretanto, o dar não deve ter como objetivo o recebimento. O dar é uma doação, uma entrega e o seu objetivo é compartilhar, doar-se junto com a doação. Não podemos nos utilizar da expressão é dando que se recebe como um toma lá e dá cá. A doação deve ser movida pelo amor e não pelo espírito de barganha. Foi por isto que Jesus disse: quando deres um jantar, ou uma ceia, não chames os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso recompensado (Lc 14:14). Por sua vez, a reciprocidade não será realmente uma reciprocidade se não for uma resposta de amor ao amor recebido. Como escreveu Paulo na primeira carta aos coríntios capítulo 13: o amor não busca os seus interesses.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

ESCOLA DOMINICAL PARA ATEUS.

ateismo

 

Por Renato Vargens – DF 95

 

Temos pregado em inúmeras igrejas das mais variadas denominações em boa parte deste país. Em cada comunidade, temos procurado conversar com os pastores a respeito da EBD e, para nossa surpresa, muitos têm compartilhado a ideia de que Escola Bíblica Dominical encontra-se em declínio em muitas igrejas locais.


Segundo esses pastores, a razão para o esvaziamento da EBD se deve à dificuldade dos membros assistentes em organizar sua agenda e tempo, o que, evidentemente, corrobora para o esvaziamento de suas classes dominicais.


Contrapondo-se aos cristãos brasileiros, pais ateus, com uma ótica diferente da vida, têm levado, aos domingos pela manhã, seus filhos a escolas humanistas, cujo objetivo é ensiná-los a não existência de Deus. É exatamente isso que a revista Time publicou. O texto, parafraseamos a seguir:


“Pais não cristãos têm entendido a importância de levarem seus filhos a centros humanistas onde possam aprender como refutar os argumentos religiosos dos cristãos. De acordo com o Instituto para Estudos Humanistas, 14% dos americanos professam não terem qualquer religião, e, entre a faixa etária de 18 a 25 anos, a proporção sobe para 20%. A vida dessas pessoas seria muito mais fácil do que a dos ateus adultos se eles aprendessem, desde cedo, como responder à maioria dos cristãos nos EUA”.“É importante as crianças não parecerem estranhas”, diz Peter Bishop, que conduz a classe de adolescentes no centro humanista em Palo Alto. 


Outros dizem que a instrução semanal apoia a posição de que é natural não acreditar em Deus e lhes dá um lugar para reforçar a moralidade e os valores que eles querem que suas crianças tenham.


O programa pioneiro em Palo Alto começou há três anos e comunidades em várias regiões do país planejam começar trabalhos semelhantes nos próximos anos. O movimento crescente de instituições para crianças de famílias de ateus também inclui acampamentos de verão em cinco Estados e a Academia Carl Sagan, na Flórida, a primeira escola pública humanista do país que abriu com 55 crianças no outono de 2005. Bri Kneisley, que enviou o filho Damian, de dez anos, para acampar em Ohio, dá as boas-vindas ao senso de comunidade que essas novas escolas lhe oferecem: ele é uma criança de pais ateus, e ele não é o único no mundo.


Kneisley, 26 anos, uma estudante da universidade de Missouri, diz que percebeu que Damian precisava aprender sobre secularidade depois que um vizinho lhe mostrou a Bíblia. Damian era bastante convicto quando esse sujeito lhe contou esta surpreendente verdade que eu nunca tinha compartilhado com ele. O acampamento ateísta ensinou para Damian a “pensar criticamente” contra as religiões mundiais por meio da literatura de livres-pensadores (um termo que engloba ateus, agnósticos e outros racionalistas). 
O Programa Palo Alto Family usa música, arte e discussão para encorajar a expressão pessoal, a curiosidade intelectual e a colaboração. Em um domingo de outono, pode-se encontrar até uma dúzia de crianças de até seis anos de idade, e vários pais que tocam instrumentos de percussão e cantam hinos como Ten little indians (cuja tradução, seria: “Os dez pequenos indiozinhos”), em vez de canções como Jesus me ama. No lugar de ouvirem uma história da Bíblia, a classe ouve parábolas seculares.


No corredor da cozinha do acampamento, as crianças mais velhas se concentram em uma conversação socrática com o líder Bishop, que tentou conseguir que eles vissem como as pessoas são coagidas a renunciar as convicções delas e como poderiam não mudar suas mentes de fato, antes, poderiam reagir. Uma lição importante para jovens ateus que podem sentir pressão ao confessarem que acreditam em Deus.


Os pais ateus apreciam esse ambiente. Kitty, uma ateia que não quis revelar o último nome para proteger a privacidade das crianças dela, traz sua filha à classe de Bishop toda semana. Depois que Jonathan, treze anos, e Hana, onze, nasceram, Kitty diz que ela se sentia socialmente isolada e até mesmo pensou em experimentar levá-los à igreja, mas eles estão tendo discussões racionais muito mais confortáveis no centro humanista. “Sou uma pessoa que não acredita em mitos”, diz Hana, “ aprecio bastante a evidência”.
Enquanto isso, neste nosso Brasil, em detrimento do movimento gospel, seguimos em frente, negligenciando a Bíblia e a Escola Dominical, fazendo atos proféticos, sincretizando o evangelho, além, obviamente, de dançar e cantar em “boate gospel”, como se a vida fosse um grande mar de rosas.


Deus, tenha misericórdia desta nação!

 

Compartilhado pelo Pr. Antônio Fonseca do ICP no facebook

2017: CHEGA DE RELIGIOSIDADE EXTERIOR.

0001001adorar_man31

Costumamos no final de ano e início de outro estabelecermos metas para alcançarmos. Não pensando somente nas metas naturais e materiais, alguns têm objetivos espirituais. Como por exemplo, o aprofundamento do relacionamento com Deus.

Quem pensar assim não poderá deixar de considerar a oração como prioridade. Os religiosos tendem a se apegar as formas esquecendo-se da essência. Assim, muitos oram em formas que eles pensam serem eficientes e deixam de orar em Espírito e em Verdade. Outros são capazes de orações pirotécnicas diante dos outros e quase manifestação nenhuma no particular.

Vamos dar um basta na religiosidade exterior sem vida por dentro. Rasgue seu coração rasgando as vestes ou não. Quebrante-se. É aquele que deseja a Deus e não os aplausos, quando ora crendo em Jesus, que recebe a recompensa do Pai que tudo vê. Tudo que está oculto será revelado. Religião sem vida por dentro será descoberta. Se a nossa oração só for fachada sem fundamento, um dia cairá.

A parábola do fariseu e o publicano ilustra este tipo de mentalidade. O fariseu orava a Deus, mas o foco era si mesmo, Deus para ele era um meio e não o propósito. Já o publicano consciente de quem era, nem olhou para o céu, bateu no peito e pediu misericórdia, pois não justificava a si próprio. Quem foi aceito na oração por Deus foi o publicano.

Se vives como o fariseu, ainda tens tempo de se arrepender. Confesse a Deus seu autoengano e peça a Ele para que em 2017 sejas um autêntico adorador que o adore em Espírito e em Verdade, sem a falsa religião da mera aparência exterior.

 (O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

A RELIGIÃO POR SI SÓ NÃO BASTA.

Religious symbols of our planet. 3D image

Muitos confundem ter uma religião com ter uma vida com Deus. Muitos estão perdidos tendo a impressão que encontraram a Deus.  Não basta estar no ambiente onde se fala de Deus e cultua Seu nome. É preciso mais.

Jesus na sinagoga expulsou um endemoninhado que o confrontou. Curou também uma mulher possuída por espírito de enfermidade por 13 anos. No templo expulsou os cambistas e mercadores. Suas palavras mais duras foram destinadas a religiosos. Mostrando o que temos escrito que não basta ter se conformado com o molde da religião, é preciso ser transformado.

As parábolas de Lucas 15 mostram uma ovelha desgarrada, e um filho esbanjador distante, mas também ilustra com uma moeda perdida dentro de casa. Os mais próximos, muitas vezes, são os mais distantes. São os doentes que se acham são e pensam que não precisam de médicos já que visitam muito o “hospital” (igreja).

Jó depois da provação afirmou que até aquele momento tinha conhecido a Deus de ouvir falar. Creio que essa “ficha” precisa cair no coração de muitos. Quando a consciência for convencida pelo Espírito Santo, que Jesus é O Único modo de chegar e conhecer a Deus a pessoa se desprenderá da confiança nos rituais e liturgias, e crerá em Jesus como o Único Suficiente Salvador. A maneira pela qual ocorre a verdadeira transformação é crendo em Jesus. Só assim se nasce de novo.

Deus te abençoe!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do bog).

FRASES POSTADAS NO TWITTER 51.

escolha2

23 de jul de 2015

Quem desobedece a Deus está lhe desonrando. Quem idolatra a si mesmo está dizendo que pode viver de forma independente dEle.

24 de jul de 2015

O desprezo pode ocorrer, mas a questão é não perder a esperança, levantar os olhos para Deus, pois o que Ele pensa, é que é a verdade.

25 de jul de 2015

O avivamento desordena o que está em desordem colocando as coisas no padrão de Deus. Promove um culto espontâneo ao invés do culto mecânico.

26 de jul de 2015

Só Jesus pode religar o homem a Deus e tal religação é sobrenatural. A religião não faz isto. É Jesus que abre os céus para o homem.

27 de jul de 2015

O impacto da vitória na cruz foi que nos tornou testemunhas de Jesus e O Espírito Santo foi derramado para nos fazer testemunhas poderosas de Cristo.

28 de jul de 2015

A primeira vinda de Cristo é uma prova inconteste que Deus ama a humanidade, e que domina a história dos homens. Quem crê em Jesus crê em Deus.

29 de jul de 2015

Pensamentos negativos podem se tornar verdadeiras fortalezas mentais na vida de alguém. Minando a possibilidade de alcançar a vitória

30 de jul de 2015

Tendo consciência de quem é Deus e do cuidado que Ele tem para com seus servos teremos esperança, estabilidade e paz

.31 de jul de 2015

A nossa palavra tem que ser temperada com sal.Tem que fazer diferença. Precisa ser cheia de Bíblia e de sabedoria na hora da aplicação.

1 de ago de 2015

A melhor escolha e a única que é uma escolha por Deus – é a escolha da fé e confiança nEle.Qdo se faz esta escolha se escolhe a adoração a Deus.

(O autor das frases é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).