Arquivo da categoria: Seitas

DISCERNIMENTO.

falsoprofeta

Há necessidades básicas como amar e ser amado, de justiça, paz, propósito na vida etc. Na busca pela superação dessas e outras necessidades podemos escolher mal, e isto nos trazer prejuízo. Escolher é uma capacidade humana que vem acompanhada de responsabilidade. Somos responsáveis pelas escolhas que fazemos. Não podemos usar como desculpa as urgentes necessidades para fazermos escolhas erradas. Iremos prestar constas a Deus.

Algo se faz muito necessário para se escolher: DISCERNIMENTO. O discernimento vem com a ação do Espírito no nosso coração que se utiliza das nossas experiências de vida pessoal, vida com Deus, o nosso conhecimento da Palavra de Deus e nossa vida de oração. Exerça-o com sabedoria, assim suas escolhas serão melhores.

Há o discernimento natural que os homens com saúde mental possuem e há o discernimento espiritual, um dom dado pelo Espírito Santo, que capacita a distinção entre o que vem de Deus e o que vem de satanás.

Um exemplo de discernimento espiritual é o de Paulo em sua segunda viagem missionária, quando desenvolvia seu ministério foi importunado por uma menina possuída por um espírito de adivinhação. Ela exclamava: “Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo”. Ela não errou no que dizia, mas dizia possuída por demônios com o objetivo de atrapalhar Paulo e seus companheiros. Paulo pelo Espírito percebeu aquele espírito de adivinhação e inquietação, repreendeu em nome de Jesus e a menina foi liberta.

O discernimento não é apenas usado na distinção do bem e do mal. Mas também, numa atitude de sabedoria que sabe aproveitar a hora propícia de agir. Como Paulo em Atenas percebendo a idolatria do povo usou um altar que era dedicado a um Deus desconhecido. Paulo proclamou Jesus como o Deus que os atenienses não conheciam.

É bom que se registre, que discernimento não é “intuição” ou “insight”, ele é dado pelo Espírito Santo, que age de acordo com a Palavra de Deus, que foi registrada para ser o nosso manual, aferidor de todas as coisas. Então o discernimento não se trata de algo subjetivo, mas de uma experiência real baseada na orientação da Palavra de Deus.

Uma das maiores necessidades do povo de Deus em nosso tempo é o discernimento. Discernir o que se ouve. Discernir antes de falar. Discernir antes de escolher. A precipitação traz muitos infortúnios. Evita-se muitos problemas quando o discernimento é praticado.

Jesus foi alvo de muitas armadilhas, mas não caiu em nenhuma, pois discernia tudo, conhecia os corações. Talvez você diga: “não somos Jesus”; mas somos servos dEle. Temos o Espírito Santo. Temos a Palavra de Deus. Temos conselheiros espirituais. O inimigo de nossas almas anda em derredor buscando quem possa tragar. Vigiar. Discernir. São necessidades básicas.

Devemos discernir sem usarmos as togas de juízes dos outros como se tivéssemos a palavra final sobre alguém. Deus está acima de todos. Cabe-nos a humildade de depender de Deus para exercemos tal capacidade de forma acurada e sábia porque sem Deus e sem sua Palavra e oração não dá para fazê-lo.

(O autor do texto é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

QUE TIPO DE CULTO VOCÊ OFERECE A DEUS?

Worship Arts Graphic 2

Cultuar é reverenciar, homenagear, adorar ou venerar. Na história da humanidade há diversas formas de se cultuar a Deus. Vejo na Palavra alguns tipos de cultos oferecidos a Deus que quero destacar. O verdadeiro culto a Deus é o último que vou citar.

CULTO SINCRÉTICO:

Levítico 10

1 E OS filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o SENHOR, o que não lhes ordenara.

2 Então saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR.

O culto oferecido por Nadabe e Abiú tiveram elementos estranhos, não prescritos pela lei cúltica levítica. Por isto representa bem o culto sincrético. Cheio de influência estranha. Uma verdadeira babel religiosa. Aceitando elementos estranhos a Bíblia.

CULTO INCOERENTE:

Amós 5

23 Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas violas.

24 Corra, porém, o juízo como as águas, e a justiça como o ribeiro impetuoso.

Este culto como o sincrético é rejeitado por Deus. O louvor se torna barulho, dissonante, por causa da incoerência. Falta honestidade, justiça, coerência e mesmo assim se cultua. Deus rejeita este tipo de culto. Para Ele é reprovável.

CULTO MECÂNICO:

Mateus 21

12 E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas;

Foi o culto que Jesus encontrou no templo. As pessoas já não traziam seus sacrifícios de casa envolvendo-se. Eles iam ao templo e compravam os animais para oferecerem a Deus. Não era um culto voluntário. Era empacotado. Mecânico. Sem o envolvimento do coração.

CULTO ANTROPOCÊNTRICO:

Colossenses 2

20 Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como:

21 Não toques, não proves, não manuseies?

22 As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens;

23 As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.

É um culto oferecido baseado na autossuficiência humana. Legalista. Parte do princípio que o esforço humano pode agradar a Deus. Na verdade não é um culto a Deus, mas um culto a si mesmo. O homem está no centro e não Deus.

CULTO IDOLÁTRICO:

1 Timóteo 6

10 Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

É o culto a ídolos. Condenado pela bíblia. Creio que um dos grandes ídolos do nosso tempo seja o dinheiro. Pregadores que pregam visando o lucro e ovelhas que cultuam somente para prosperar financeiramente. A idolatria não é um culto a Deus, mas um culto ao próprio homem que fabrica seus ídolos.

CULTO PAGÃO:

Êxodo 32

3 Então todo o povo arrancou os pendentes de ouro, que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão.

4 E ele os tomou das suas mãos, e trabalhou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.

5 E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e apregoou Arão, e disse: Amanhã será festa ao SENHOR.

6 E no dia seguinte madrugaram, e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois levantou-se a folgar.

É o culto ocultista. Baseado na bruxaria e feitiçaria. Um verdadeiro panteão de deuses que exigem sacrifícios esdrúxulos. No nosso tempo há muitos cultos pagãos. Diria até que há certo ressurgimento do paganismo em nosso tempo principalmente por causa da literatura, cinema e artes em geral.

CULTO VIVO E RACIONAL:

Romanos 12

1 ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

2 E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

O culto que Deus deseja é o da misericórdia, uma entrega viva com todo o entendimento, amoldando-se a vontade divina e não antropocêntrica. Não é mecanicista, mas voluntário e vivo. Adorando a Deus em Espírito e em Verdade. O culto é cristocêntrico, pela mediação de Jesus, porque sem Jesus não se achega a Deus.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

O QUE É RELIGIÃO?

religiãoII O homem é um ser religioso por natureza. Deus já o fez assim, e aonde quer que se encontrem seres humanos, encontram-se vestígios de religião. A palavra religião vem do latim religare e, na sua essência, significa “ligar-se novamente”; por isso, em si mesma já transmite a idéia de que o homem está separado.

Citarei a definição de Langston em seu livro: Esboço de Teologia Sistemática:

“A religião é a vida do homem nas suas relações sobre humanas, isto é, a vida do homem em relação ao Poder que o criou, à autoridade Suprema acima dele, e ao Ser invisível com que o homem é capaz de ter comunhão.

A religião é sempre a vida do homem como um ser dependente de um poder, responsável para com uma autoridade e adaptável a uma comunhão íntima com uma realidade invisível. Esta definição exclui a idéia que prevalece, de que a religião é um corpo de doutrinas. Quem assim define a religião confunde-a com a teologia, confusão que, se não justifica, não tem razão de ser: religião é vida; teologia é doutrina. E, como já dissemos, a religião precede a teologia. Ambas são distintas embora estejam intimamente ligadas.”

Geralmente as pessoas procuram na religião a resposta a certas perguntas do tipo: Por que existe o mundo? Quem criou o universo? Para que nascemos? Existe vida depois da morte? A religião é um meio da pessoa se relacionar com as coisas espirituais que não se vêem. Alguns sentem medo, outras vezes experimentam amor, adoração, emoção com algo invisível. As religiões também possuem princípios para uma vida melhor: solidariedade, amor ao próximo e outros.

Uma religião para ser denominada assim precisa ter antiguidade. Não pode ser um grupo emergente. O emergente é o que denominamos de seita, que geralmente surge como uma facção de uma Religião reconhecida como tal. A Religião precisa também de doutrina própria. O seu credo ou confissão de fé já está estabelecido e têm características próprias, distintas das demais. E por fim a Religião tem ortodoxia, ou seja, uma doutrina de consenso, considerada verdadeira entre os seus pares. Quando uma doutrina é contrária a ortodoxia da Religião é chamada de heresia, ou heterodoxia. Se um grupo se formar em torno da heresia torna-se uma seita, ou facção de tal Religião.

Há inúmeras religiões, mas Jesus disse que Ele é o único caminho para se chegar a Deus. Jesus é o caminho, a verdade e a vida (João 14:6). As religiões são tentativas humanas de se religar com Deus, porém Jesus é o único Mediador entre Deus é o Homem (1 Timóteo 2:5). Deus religa o homem a Ele através de Jesus somente. Jesus é maior que a religião!

(O texto é uma compilação de fontes diversas).

O QUE É UMA HERESIA?

 

heresias

A palavra heresia vem do grego hairesis que quer dizer: escolha, corrente de pensamento; partidos; facções (At 5.17; 15.5; 24.14; Gl 5.20 etc). Tal palavra deu origem a secta em latim, que passou para o português como: seita. No Novo Testamento a palavra hairesis é usada quase sempre no sentido exposto acima, havendo apenas a exceção em II Pe 2.1 que é usada no sentido de erro doutrinário, sendo tal sentido o mais usado hoje em dia.

Hoje, para nós, evangélicos, os conceitos de seitas e heresias estão diferenciados. A heresia é o desvio doutrinário da Palavra de Deus e as seitas são os grupos religiosos que absorvem os ensinos heréticos e os praticam. Citarei algumas definições dadas por estudiosos sobre o assunto:

“Uma seita é alguma perversão religiosa. É a crença e a prática, dentro de um mundo religioso, que requer a devoção das pessoas a algum ponto de vista religioso ou para algum líder, estribados em alguma doutrina falsa. Uma seita é uma heresia organizada. Uma seita pode assumir muitas formas, mas basicamente é algum movimento religioso que distorce ou desvirtua a fé ortodoxa até o ponto com que a verdade é transformada em mentira (…)”. (Dave Bresse. CONHEÇA AS MARCAS DAS SEITAS. Editora Fiel. São José dos Campos, SP – 1998, p.9.

“O que é uma heresia? Para nós, evangélicos, é toda doutrina que, em matéria de fé, sustenta opiniões contrárias às da Bíblia considerada a Palavra de Deus”. (J Cabral. RELIGIÕES, SEITAS E HERESIAS. Universal produções. Rio de Janeiro, RJ – 2000, p.15.

“Do ponto de vista cristão, heresia é o ato de um indivíduo ou de um grupo afastar-se do ensino da Palavra de Deus e adotar e divulgar suas próprias idéias, ou as idéias de outrem, em matéria de religião. Em resumo, é o abandono da verdade”. (Raimundo F. de Oliveira. SEITAS E HERESIAS, UM SINAL DOS TEMPOS. CPAD, Rio de Janeiro – RJ, 1992, p.9).

(O autor é o Pr Eber Jamil, dono do blog. As citações estão com as devidas referências).