Arquivo da tag: Evangelho

SENHOR, JUSTIÇA NOSSA!

Ótima poesia. Os que estão em Cristo não devem viver sob o tacão do medo.

Gilberto Celeti

SENHOR, JUSTIÇA NOSSA!

Senhor, Justiça nossa, nome amado,
Por nós é que Ele foi crucificado.
O Santo, o Perfeito, o Imaculado!
Tomou na cruz, do crente, o pecado.
E proclamou ali: “Está consumado”!

Motivo não há pra estar amedrontado
Nem abatido, nem angustiado,
Se peca, Cristo é Seu advogado,
E seu pecado é logo confessado.
Mantém o coração purificado.

E como Cristo está ressuscitado
O crente sabe que foi libertado,
Todo pecado já foi perdoado.
E busca a santidade com cuidado
Com Cristo bem presente, ao seu lado.

A Deus, tendo o seu corpo consagrado,
Não fica a este mundo conformado
E pelo Espírito sendo habitado,
Deseja ser por Deus orientado
Em tudo quer ver Deus glorificado.

Gilberto Celeti

“Aquele que não conheceu pecado foi feito pecado por nós, para que nele, fossemos feitos justiça de Deus”. (2 Coríntios 5:21)

Ver o post original

O HOMEM NO BURACO: QUAL É O CAMINHO?

 

Há muitos caminhos que prometem a salvação, mas só um que efetivamente salva. Aquele que salva é que se fez o próprio caminho. Foi aquele que ao invés de apontar um caminho tornou-se o próprio caminho. Foi aquele que encarnou, viveu entre nós, morreu e ressuscitou. Jesus disse: Eu sou o caminho. Se você está no buraco, no abismo, deixe-se ser resgatado por Ele. Aceite Jesus como seu único caminho até Deus.

RETIRO OU EVANGELIZAÇÃO ?

        Na minha juventude, costumava no período chamado de carnaval organizar retiros espirituais. Anos se passaram e neste período tenho participado de uma evangelização de impacto nas cercanias do sambódromo. A evangelização é realizada pela JOCUM na Avenida Presidente Vargas em frente à estátua de Zumbi.

         Eu sei que no nosso meio evangélico muitos perguntam o que fazer no carnaval: evangelização ou retiro? Pessoalmente creio que as duas ações são pertinentes. Em alguns momentos, o melhor é retirar e em outros ir ao front do inimigo e evangelizar.

         Na evangelização encontramos pessoas de tudo que é jeito. Até mesmo encontramos pastores afastados do evangelho que ficam rodeando o sambódromo para “passar” o tempo, e lá encontram o povo de Deus infiltrado e evangelizando, e se arrependem do famigerado passeio.

         Seja qual for a opção escolhida: glorifique a Deus com sua escolha. Muitos criticam os retiros como se fosse uma escolha comodista e alienante. Porém o retiro bem organizado é muito edificante e promove um avivamento no retirante. Sendo a escolha o retiro ou a evangelização, não  se deve ter “orgulho espiritual” e desprezo pelo o outro. Pois o orgulho por uma escolha espiritual não é espiritual, mas carnal.

         Para você visitante do meu blog deixarei uma foto de um dos retiros que eu organizei há mais de dez anos no Sítio do Sossego no estado do Rio de Janeiro. Na foto eu sou aquele que está de relógio.

retiro

DESCULPAS QUE NÃO DESCULPAM

Deus quer que todo o crente seja um ganhador de almas. Ide e pregai o evangelho a toda criatura – foi uma das últimas palavras de Cristo. Apesar deste desejo de  Deus, muitos crentes dão desculpas para não evangelizar. Evangelizar é mais que um dever: é um gigantesco privilégio. Privilégio que não foi dado aos anjos. Privilégio que Cristo enfatizou em cinco comissões: Mt 28.19 e 20; Mc 16.15: Lc 24.47-49; Jo 20.21 e At 1.8. Privilégio de responder afirmativamente à grande pergunta de Deus: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?” (Is 6.8). Desfrutar deste privilégio é uma atitude sábia: “O que ganha almas é sábio” (Pv 11.30). Apesar disso, muitos têm dado desculpas. São desculpas que não desculpam.

Citarei algumas:

1.    Não tenho dom. Essa é uma das desculpas mais usadas. Não se pode confundir o dom ministerial do evangelista (Ef 4.11) que é só para alguns, com a responsabilidade que cada crente tem de falar de Cristo. Para falar de Cristo é necessário ser nascido de novo. Um exemplo clássico é o da mulher samaritana que ao conhecer a Cristo correu para falar aos seus sobre Jesus. Quem teve uma experiência pessoal com Cristo já tem algo para transmitir.

2.    Sou tímido. Paulo escreveu: Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação (2Tm 1.7). Tais pessoas se escusam por causa do temperamento alegando que não são aptas para isto. Falar do evangelho não passa sempre pela proclamação pública, muitas vezes é na conversa particular em pequenas citações que a evangelização acontece. O Espírito Santo dá a pessoa ousadia para falar de Cristo. Portanto, vença a timidez e fale de Cristo!

3.    Já tenho cargo na Igreja. Nenhum cargo na Igreja tira a sua responsabilidade de resgatar uma vida do inferno. O que você vai dizer quando chegar diante do tribunal de Cristo? Deixei de falar de Cristo por causa do meu cargo?…“ Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; e tu não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei” (Ez 3.18).

4.    Não tenho tempo. Quem dá essa desculpa provavelmente pensa que a única maneira de evangelizar é participando da evangelização organizada pela Igreja local. Estando ocupada, pensa estar eximida da responsabilidade de evangelizar. E os seus parentes, vizinhos, amigos, colegas de trabalho…? Quem quer realmente evangelizar não fica somente esperando as oportunidades aparecerem, mas cria as oportunidades de evangelização. “Pregue a palavra, instes a tempo e fora de tempo” (2 Tm 4.2).

5.    Sou dizimista. São aqueles que dizem: meu dízimo evangeliza por mim. Sem dúvida alguma, as contribuições ajudam a expandir o Reino de Deus na terra. Apesar disto, aquele que contribui continua com a responsabilidade e privilégio de falar de Cristo. Quem dá esta desculpa está como que dizendo – eu pago para outro fazer por mim. Observe o grito de Pv 24.11: “Livra os que estão destinados à morte, e os que são levados para a matança, se os puderes retirar”. Não dê desculpas, evangelize!

6.    Não sei falar. Esta foi a mesma desculpa que Moisés deu (Ex 4.10). Existe uma linda promessa bíblica que destrói essa desculpa: “Mas quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós” (Mt 10.19 e 20).

O que fazer? Continuar dando desculpas? Ou realizar a maior de todas as tarefas: Evangelizar. Lembre-se que quando Jesus deu o Seu Ide também disse que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Portanto temos o conforto, habilidade, poder do Espírito para juntos com Ele realizar esta magna tarefa. Vamos lá!  “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (Jo 9. 4).

Este texto é de autoria do Pr Eber Jamil).