Arquivo da tag: Mordomia Cristã

MORDOMIA DO PENSAMENTO.

pensamento5

Pensamos e falamos mais sobre o mau exemplo do que o bom exemplo. Quando pensamos em Ananias, pensamos no Ananias do capítulo 5 de Atos, que mentiu ao Espírito Santo e foi punido por isto. Porém, há o Ananias do capítulo 9, que orou por Paulo, obedecendo a Deus, assim que ele se converteu. Era um homem disponível, que conhecia a voz de Deus. Na vida vamos nos deparar com bons ou maus exemplos. Devemos imitar os bons. Devemos tê-los como boa referência. Usá-los como bons exemplos em nossas conversas. Fiquemos mais impressionados e marcados pelos bons do que pelos maus. “Notícia boa é notícia ruim”? Não deve ser assim. Falemos mais e ocupemos mais a nossa mente com os bons exemplos, dignos de serem tidos como referência.

Paulo alertou aos filipenses que devemos ocupar a nossa mente com bons e virtuosos pensamentos. É alguém que devemos fazer. É um exercício nosso. Somos sujeitos a termos pensamentos nocivos, mas não devemos cultivá-lo. Como exercitamos o físico devemos exercitar a nossa mente com os princípios da Palavra de Deus. Tal atitude coopera em muito para que a Paz de Deus guarde as nossas emoções e pensamentos. Se alguém dissesse para você tomar um copo de veneno diariamente, você tomaria? Quando cultivamos os maus pensamentos é como se fizéssemos isto. Há variadas formas de exposição dos pensamentos malignos que dominam esse mundo. Somos bombardeados todos os dias. Não somos receptáculos que aceitam tudo. Como escreveu Paulo: Examinai tudo e retende o que é bom. A nossa mente não é mais entenebrecida. Não vivemos mais nas trevas. Fomos libertos. Temos a mente de Cristo. Portanto, precisamos nos alimentar diariamente da Palavra de Deus e por ela analisar o que nos é dado para alimentar a nossa mente.

Se assim fizermos, um dos resultados será visto pelo nosso falar. As nossas palavras serão edificantes e construirão valores positivos na vida dos que te cercam. Como Jesus disse: a boca fala do que o coração está cheio. Podemos não chegar a perfeição no falar, mas progrediremos cada vez mais na edificação dos nossos ouvintes e ainda seremos beneficiados, pois comemos dos frutos dos nossos próprios lábios.

A questão do pensamento dita também e muito a qualidade da vida que vivemos. Conflitos, ambiguidades, autoimagem, resultam internamente ou não do tipo de pensamento que temos e cultivamos em nós. O que vem de fora como elogio, ou crítica, será filtrado pelo tipo de pensamento que temos. Tudo isto trará qualidade ou não para a nossa vida. Como está escrito na Bíblia aquilo que você imagina ser é o que você é. Pelo menos, é por isto que você se enxergará no mundo. Portanto, é necessária uma mente cheia da Palavra para que a nossa autoimagem esteja partindo de premissas verdadeira e não falsas sugestionadas por satanás.

O pensamento também resultará em ações. Algumas ações são repentinas, quando acontecem, muitas vezes são resultados das nossas emoções. Mas a maioria das atitudes são resultados de pensamentos cultivados que nutrimos a nossa alma. A batalha entre a carne e o espírito se dá na alma, portanto devemos cuidá-la, alimentando-a com coisas espirituais, para que suas respostas e atitudes sejam condizentes com a Palavra de Deus.

Quando pensamos na mente não podemos pensar de forma passiva. Quando Paulo escreveu: Nisso pensai, mostra que precisamos agir de forma ativa quanto a mordomia do pensamento. Ocupemos a nossa mente com coisas boas e espirituais e a nossa vida terá mais qualidade, mais frutificação no falar e no agir.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

CRENTE TIPO MARTA.

servir3

Marta, irmã de Lázaro, era uma das amigas de Jesus. Sua vida tem sido referência tanto no aspecto positivo e negativo como alguém que servia a Cristo, mas que se esquecia da devoção, que é a forma da alma se alimentar de Deus. Alguns estão mais envolvidos com o trabalho para O Senhor, como Marta, do que com O Senhor propriamente dito. Alguns estão mais preocupados em dirigir o louvor do que louvar Deus em particular. Alguns estão mais preocupados em estudar a Bíblia para pregar do que ler para sua própria meditação. Alguns estão mais preocupados em conhecer a Palavra para ensinar do que conhecer para praticar.

Não use o trabalho a Deus como desculpa para não se ocupar com Deus. Deus precisa estar em primeiro lugar na tua vida. Ocupa-se com Deus primeiro para depois fazer o seu trabalho. O ativismo ocupa a pessoa, mas traz muita ansiedade, porque a atividade vira um fim. O objetivo da vida não é cumprir atividades, mas relacionar-se com Deus e com isto realizar a Sua Vontade na terra. Em primeiro vem o relacionamento com Deus, o trabalho é uma decorrência do relacionamento. O cristão não deve ser aquele que somente responde as demandas da existência. Quando se tem algum encargo procura-se cumpri-lo. Ele precisa estar antenado com Deus e seguir a sua direção. A comunhão com Deus dá o norte da vida. “Os filhos de Deus são guiados pelo Espírito de Deus” escreveu Paulo. Não devemos ser movidos pelos solavancos da vida, mas sermos guiados pelo vento do Espírito.

Mesmo que a direção de Deus seja a espera, enquanto se espera, Deus tem direção para você seguir. Há a maneira certa de esperar e uma delas é confiar. Agir em decorrência da confiança e não pela excessiva ansiedade. Jesus disse que a ansiedade não pode nos acrescentar tempo de vida. Deus pode. A murmuração azeda a situação. O louvor é uma forma de adorar, e adorar é uma boa forma de esperar.

Talvez você pense que a minha intenção é te incentivar a ser uma pessoa somente contemplativa onde se apenas espera em Deus e Ele faz tudo. Não. Servir a Deus é a nobre tarefa do dia-a-dia nos pequenos e grandes detalhes, e devemos fazê-lo. Um dos maiores títulos que podemos ter é o de servo de Cristo. A operosidade de Marta tem muito a nos ensinar, apesar de não ser o único aspecto da vida cristã. Alguns encontram-se prostrados e perdendo oportunidades de servir a Deus quando deixa de servir ao próximo. O problema de Marta não era o seu trabalho, mas o seu esquecimento acerca da devoção, do render-se a Deus para aprender mais dEle.

Agora, também é um problema adorar, ter uma dimensão somente vertical, sem servir a Deus e ao próximo. Adoração não envolve somente a contemplação e o enlevo, mas também as obras, pois adoração deve ser um estilo de vida. Quem adora é um adorador, e adorar não é somente exaltar a Deus, mas viver uma vida de adorador. A disposição e o serviço de Marta deveriam também ser aliados a devoção a Jesus. Muitos são crentes tipo Marta, servem, trabalham e vivem ansiosos porque o serviço não tem o foco da adoração, mas o reconhecimento pelo esforço feito. Quando todas as nossas ações se tornarem como parte do culto a Deus, como parte da nossa devoção, seremos ativos como Marta, mas aliando serviço e adoração. A vida é cheia de oportunidades de serviço a Deus. A vida espiritual é uma imensidão de possibilidades e de aprofundamento. Trabalhemos como Marta porque o tempo urge e aprendamos que a devoção a Deus é fonte de conhecimento e de contentamento. Quando alinharmos a devoção com o trabalho ouviremos em nosso coração a voz do Espírito, que nos dirá que estamos fazendo a escolha certa, pois adorador é o que somos.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).