Arquivo da categoria: Antigo Testamento

RENOVO.

renovacao

Estamos vivendo numa época de constante agressão a natureza: poluição, desmatamentos e queimadas. O efeito el niño, estufa, são frutos dessa agressão. Desastres naturais constantes mostram que a natureza tem sentido a ação do homem em seu meio ambiente. Ocorrem também verdadeiras devastações espirituais nas vidas das pessoas. Elas ficaram como uma árvore que foi tombada ou cortada onde se restou apenas o toco. Os machados existenciais fizeram-nas tombar e ter reputação de vencidas. Sentem-se sem esperança e sem possibilidades de reverter a situação.

Segundo a profecia, Jesus é capaz de dar vida aquele que foi derrubado e fazê-lo frutificar. Ele é O Renovo, a raiz de Davi, que surgiu da árvore genealógica tombada de Jessé. Creia nEle de todo coração. Enquanto houver a vida física há possibilidade da fé reascender, e isto acontece. O poder de Deus ressuscita a vida através do renovo de Jessé – Jesus, de onde nascem raízes que se aprofundam e onde uma árvore frutífera e viçosa surge.

Talvez o pecado tenha te cortado e derrubado. Sua esperança se esvaiu. Você que vinha caminhando chei0 de projetos sentiu a lâmina afiada e tombou. O pecado atrai naquilo que nós desejamos. Se o nosso desejo aceita a isca, pecamos. Daí sentimos a lâmina transpassar a nossa alma e a nossa estrutura vem abaixo. Como sair dessa?

A zombaria e o desprezo dos homens colaboram para que continuemos na prostração. Os comentários e as constatações humanas atestam que não há saída para ti. No fundo os homens se veem em você e como não se reabilitaram da queda, dizem e zombam que você também não sairá dessa.

Não fique sobressaltado pelo tamanho da queda e nem nos seus ouvidos ecoem o barulho do machado. Creia na Palavra de Deus. Creia em Jesus, o Renovo. O assombramento paralisa e mina a esperança. A fé em Jesus é a solução para a devastação. Pois, a incredulidade cimenta a prostração e nos impede de levantar. Abra seus ouvidos e corações para a Palavra de Deus que tem poder de fazer a fé nascer onde a incredulidade endureceu.

A culpa é outro fator que nos faz continuar derrubado. Pois, ela traz peso e solidão. Quando cai a ficha do pecado cometido o homem se dá conta da sua incapacidade de solucionar a questão. A culpa vira uma espécie de assombração onde aparece sempre diante da pessoa mostrando a dura realidade do pecado cometido.

A incredulidade embaça a visão do perdão e restauração em Cristo. É muito mais fácil acreditar na restauração do outro, que conta o testemunho e parece ser fácil, mas você sente o peso do abatimento que domina seu emocional, colaborando para que a fé não prevaleça.

Como aconteceu na história do povo de Deus onde parecia não surgir mais esperança (a árvore tombada de Jessé) nasceu um ramo (Davi) do qual brotou um rebento (Jesus), assim há esperança para você que no momento só é um toco. Jesus que têm os setes Espíritos de Deus, ou seja, O Espírito Santo em plenitude, restaurará a sua vida. Creia. Confesse. Não peque mais. Levanta-te pelo poder de Jesus. Viva a vida de Jesus em você. Vida frutífera. Abençoada. Chega de ficar assombrado pelo tombo que tomastes. Chega de ficar lembrando do machado afiado. Maravilhe-se com a obra de Jesus Cristo na Cruz e na Sua Ressurreição, pois é esta obra, que restaura a sua vida e te faz frutificar.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

VERDADEIRO ABRIGO.

tempestade14

Na iminência de sofrer um grande desastre o povo de Israel confiava que os seus sábios, fortes e ricos sobreviveriam. Muitas vezes nos refugiamos em falsos refúgios. Criamos em nossas mentes alvos, que nos tornarão inexpugnáveis. Pensamos ser intocáveis. Verdadeiramente fortes. Mas, pequenos detalhes podem nos fazer sucumbir dessas fortalezas imaginárias, pois são imaginárias.

Jeremias, o profeta, chorava de dia e de noite, quando pensava no que estava por vir. Avisou claramente que a sabedoria, a força e a riqueza humanas são limitadas e não poderiam resistir ao que estava para acontecer. Nada que se baseia no homem é invencível. Nem os mais poderosos e dominados por sua arrogância podem resistir o juízo divino.

Salomão foi o homem mais sábio que existiu depois de Jesus, mas foi vencido pela luxúria. Ninguém foi mais forte do que Sansão, mas o seu caráter o fez ser derrotado. O homem rico da parábola do rico insensato juntou dinheiro, mas acabou não deixando herdeiros para receber o que acumulou. Aquele que confia em si mesmo ou no que conquistou não tem alicerce sólido, pois mais se pense que tenha. É um embriagado de si mesmo, que o deixa desnorteado sujeito a grandes quedas.

Não podemos depositar a nossa confiança em nossas capacidades, pois são limitadas. Mas sim, no Deus que conhecemos, que age com Misericórdia, Justiça e Juízo em toda terra. As Misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos. Todo o poder pertence a Deus e é Ele que pode dar o homem o fundamento necessário para o enfrentamento das demandas da vida.

Conforme o profeta profetizou a essencialidade de uma vida bem fundamentada é o conhecimento que se tem de Deus. Quem tem Deus como sustento realmente terá um sustento, pois Deus não é uma criação da mente humana, mas a Origem de todos e Senhor da história, que provou em Jesus, que se é possível vencer o mundo com suas dificuldades e calamidades. Na vida de Jesus vemos o exemplo do que parece ser derrota na verdade ser vitória.

Percebemos que a obediência a Deus fortalece a estrutura da vida para que se persevere diante das dificuldades. Nada acontece sem a permissão Divina, que é bom, justo e julga o homem na sua integralidade. Conhecer o caráter de Deus fará diferença em meio as tribulações que enfrentamos. A fé no Deus que Jesus revelou e que as Escrituras registraram faz com que conheçamos e prossigamos em conhecer mais o Senhor.

Portanto, não nos ufanaremos, nos gloriaremos nas nossas falíveis capacidades. O nosso Deus é o nosso sustento e a Ele pertence toda a Glória. A arrogância não nos protege, mas nos ilude. Quem confia no Senhor é que estará seguro. Seja qual for a circunstância, louvaremos ao Senhor por aquilo que Ele é e sempre será: Misericordioso e governa todo o Universo. A glória humana que a sabedoria, a força e a riqueza trazem são passageiras. Acabam. Os que fazem a Vontade de Deus são os que permanecem. Portanto, se existe algo que devemos confiar e nos sustentar é em Deus, que é Soberano.

O conhecimento que Deus dá e recebemos pela fé não são elucubrações da nossa mente, mas revelação de Deus. Portanto, são verdadeiras. Experimentáveis. Praticáveis mesmo numa vida cheia de sobressaltos. Viverá pacificado quem encontrou o verdadeiro abrigo da vida, onde as lutas são enfrentadas com esperança, tendo consciência que a Vontade de Deus sempre triunfará. Aleluia!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

LEVANTAI-VOS!

levantar

O profeta Isaías alerta às mulheres de Jerusalém com relação há um tempo que estava por chegar de provação, quando haveria grandes necessidades. Ocorreria o cerco do Exército de Senaqueribe a Jerusalém. Elas estavam despercebidas deste tempo, acomodadas, por isto a palavra foi: – Levantai-vos. A prostração e a acomodação podem ter várias causas: autossuficiência, desânimo, tristeza, mágoa, perda etc. Precisamos ouvir a Palavra de Deus: Levantai-vos.

A falta de percepção da visão de Deus sobre a nossa real situação pode nos fazer acomodar como foi o caso dessas mulheres. Um exame aguçado a nossa volta nos trará o senso de necessidade que nos cerca. Podemos até não perceber a nível pessoal, mas o mundo em que estamos inseridos tem necessidades prementes e situações por acontecer que devem nos tirar da acomodação. O Deus que nos manda levantar tem poder para tirar aquilo que nos deixa prostrados. Ele mandou aquelas mulheres ficarem de pé tirando-as da inércia em que estavam e não percebiam o perigo iminente.

Deus também disse para elas: Ouvi a minha voz. A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. A instrução e o conhecimento são adquiridos se ouvirmos atentamente a Deus. É da natureza dos filhos de Deus reconhecerem a voz do Seu Senhor. Para que ouçamos a Palavra ela vem acompanhada do poder de Deus assim compreendemos o que é dito. Lutero disse que os ouvidos eram os únicos órgãos do cristão, pois em decorrência da audição e fé na Palavra de Deus vem o resto.

Ao ouvirmos o ouvido não pode ser de mercador. Entrar por um lado e sair pelo outro. A Palavra de Deus foi: inclinai os ouvidos. Em outras palavras: obedecei. Sem dúvida a obediência ao Deus que nos manda agir deve ser praticada. Nenhuma das ordens de Deus é despropositada. São bênçãos para nós. É o melhor caminho. Deus não é um ser tirânico que se embriaga com o próprio poder e não pensa nos seus súditos. Deus ama seus servos e suas ordens são bênçãos para nossas vidas. Ouvir e não praticar é autoengano como disse Tiago.

Outra atitude que as mulheres deveriam ter é a da semeadura. Deviam semear. O profeta fala da felicidade de se semear junto as águas e de ter pasto para os bois e jumentos. O tempo de bonança é tempo de semeadura. O tempo de escassez e provação também. Deus fala através do profeta que depois da assolação viria a restauração. O deserto se tornaria um bosque. Para tanto, Deus nos chama para sermos cooperadores através da semeadura. Por mais difícil que seja temos que crer que o nosso trabalho em Deus não é em vão e que a semeadura trará resultados eternos pelo Poder do Espírito Santo.

Agostinho tem uma frase: “A esperança tem duas filhas lindas: a indignação e a coragem. A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las”.

Reavive a tua esperança. Sair da acomodação é um imperativo. Os campos estão brancos para ceifa. Poucos são os obreiros dispostos e sem avareza. Você que está em repouso: levanta-te, ouça a voz do Senhor e inclina-se a voz obedecendo a Deus e semeie enquanto é dia. Assim serás bem-aventurado e verás o deserto ser reputado como bosque. O profeta afirma que depois da provação vivida pela cidade haveria um tempo de prosperidade. A conclamação Divina para sair do comodismo indica que Deus nos dá o privilégio de sermos cooperadores da Sua Obra para que as situações desoladoras sejam transformadas. Levantai-vos.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

SOCORRO !

Socorro4

Quem precisa de socorro é alguém que enfrenta uma situação urgente e perigosa. Em nossas cidades é mais comum do que desejamos gritos de socorro. Só deve pedir socorro alguém que enfrenta algo que está além da própria possibilidade de resolver. Quando se esgotou todos os recursos. Pedir socorro é algo sério e só deve ser feito em situações prementes.

Há quem brinque gritando socorro e quando acontecer de precisar podem não levar a sério como já aconteceu. Outros simulam para chamar a atenção, e o que na verdade há é uma carência afetiva por atenção.

O pedido de socorro pode vir de um coração em aflição. Onde a falta de paz e tranquilidade estão dominando. A alma encontra-se em verdadeira efervescência e se desespera. O coração cheio faz a boca jorrar o pedido de socorro.

O pedido de socorro pode ser de alguém que esgotou todas as possibilidades e que não ver alternativa a não ser buscar ajuda de alguém que possa ajudar fazendo o que ele não pode fazer.

O pedido de socorro pode ser por causa de um perigo iminente cuja situação precisa ser resolvida de imediato.

O pedido de socorro pode ser por outrem. Quando vemos alguém em perigo e não temos como resolver o problema sozinhos. Geralmente procuramos tomar medidas para resolver e uma delas é o podido de socorro.

O pedido de socorro não se dá só de forma audível. Pode também ser um grito mudo, gestual, no olhar, escrito, cantado e de muitas outras formas. O salmista do salmo 121 estava numa situação aflitiva e por isto se perguntava “…de onde vem o meu socorro?” Ele encarava o desafio de ser um peregrino, um viajante, e com a visualização dos montes percebeu o tamanho das demandas possíveis decorrentes daquela viagem e indagou-se sobre quem poderia socorre-lo.

Como imediato é o pedido de socorro, o salmista respondeu a sua pergunta de forma pronta e convicta de que a resposta viria. “O meu socorro vem do Senhor”. Para Ele não era uma possibilidade, mas uma certeza.

Se os grandes montes lhe trouxeram a pergunta, a resposta veio quando ele olhou acima dos montes e pensou no Criador dos céus, da terra, e dos montes. O Senhor que Ele cria é superior a qualquer problema que se agiganta diante dele. Os montes são grandes como grandes eram os problemas. Mas, o Senhor é O Soberano Criador e antes dos montes serem fundados já era Deus. Olhar acima dos problemas é fundamental. Colocar-se numa perspectiva diferenciada das demandas é necessário.

Viver é correr riscos. Estamos todos viajando. O Senhor Deus é Aquele que está com o Seu povo. É Socorro bem presente na hora da angústia. Ele tem domínio das circunstâncias e age sempre no momento certo.

Celebre. Cante. O seu socorro virá. Como Ele fará? Ele usará alguém? O que sei é O seu socorro virá do Senhor que fez os céus e a terra. Aleluia!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

ESPERANÇA RESTAURADA

espero

“Restaura-nos, ó Deus; faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos” (Salmos 80. 3)

O que é preciso para renovarmos nossas forças e restaurarmos nossa esperança?
São muitas as respostas, mas três vêm à nossa mente: uma pessoa, uma visão e uma direção.

Precisamos de uma pessoa. Mas não é uma pessoa qualquer. Se estamos confusos, não precisamos de alguém que esteja tão confuso quanto nós.
Precisamos de alguém que conheça a solução para o nosso problema. Alguém que tenha visão e nos mostre o caminho. Alguém que consiga levantar o nosso espírito; que olhe dentro dos nossos olhos e diga: “Este não é o fim. Não desista! O melhor está por vir. Eu vou ajudar você a chegar lá!”.

Precisamos de direção. Uma pessoa que não tem uma visão renovada é apenas uma companhia. Alguém com visão, mas sem direção, é apenas um sonhador. Alguém que sabe aonde quer chegar, que conhece o caminho e pode levar-nos ao lugar certo, é alguém que pode restaurar nossa esperança.

O SENHOR Jesus é a Pessoa que nós precisamos. Ele é especialista em restaurar sonhos fracassados e esperanças frustradas. Quer estejamos desgarrados como ovelhinhas longe do aprisco, ou perdidos em uma selva, tudo se transforma quando chega o Redentor.

A solidão acaba porque entramos em comunhão com Ele. O desespero termina porque Ele nos comunica uma visão. A confusão deixa de existir porque Ele nos dá uma direção.

Nós não saímos da selva. As árvores imensas continuam obstruindo a nossa visão. Os espinhos continuam ferindo a nossa pele. Animais selvagens continuam rugindo. Serpentes venenosas continuam deslizando entre os arbustos. A selva continua sendo selva. Ela não muda. Mas nós mudamos!

Antes não tínhamos Jesus… Agora temos!
Antes não tínhamos visão… Agora temos!
Antes não tínhamos direção… Agora temos!
Antes não tínhamos esperança… Agora temos!

Encontramos Alguém que pode nos conduzir em meio à selva da tribulação e levar-nos ao lugar onde, por nós mesmos, não podemos alcançar.

Jesus, nosso Pastor Divino, sabe que não pertencemos à esta selva. Mas Ele nos preparou para enfrentarmos os obstáculos e veio ao nosso encontro para nos guiar.

Rev. Eurípedes da Conceição
Pastor da Igreja Presbiteriana da Muda Usina
Rua Conde de Bonfim, 958, Tijuca

A ESCOLHA DE ABRAÃO

abraaoelo

Deus convocou Abraão: sai-te da tua terra, e da tua parentela. Ele saiu, mas levou consigo seu sobrinho Ló. Ambos adquiriram riquezas, o que criou a impossibilidade de continuarem juntos, pois a terra não poderia sustentá-los. Houve então uma grande contenda entre os pastores de Abraão e Ló.

Abraão que era o tio, o mais velho, enfim o responsável pela caravana, disse a seu sobrinho: NÃO HAJA CONTENDA ENTRE MIM E TI. SOMOS IRMÃOS! SE ESCOLHERDES A DIREITA, IREI PARA A ESQUERDA.

Naturalmente o direito de escolha seria de Abraão, mas este abriu mão em favor de Ló.

É de estranhar essa atitude de Abraão. O pai da fé teve um espírito “neotestamentário” tipo romanos capítulo 12 nesse episódio. A “coisa” poderia ter ficado feia. Poderia ter ocorrido um “fratricídio” como quase ocorreu em juízes à eliminação da tribo de Benjamim.

Nestes tempos de Teologia da Avareza, onde as pessoas veem Deus como O realizador dos desejos, alguém abrir mão de alguma coisa, soa estranho. Muitos entendem que a vontade de Deus só está relacionada à realização dos desejos pessoais. Não é a vontade de Deus que é buscada, mas a vontade daquele que pede com “fé”. O que se torna não fé em Deus, mas fé na fé. Portanto, uma fé idólatra.

O interessante é que Abraão parecia estar perdendo com essa atitude e na verdade teve a Promessa de Deus confirmada. Enquanto Ló, que escolheu primeiro, parecia levar vantagem, encaminhou-se para Sodoma de onde teve que sair fugido.

Ló escolheu. Deus escolheu para Abraão. Escolher a Vontade de Deus pode na aparência ser prejuízo, mas é a melhor coisa que podemos fazer na vida. O caminho da renúncia. A escolha pela Vontade de Deus. A escolha do amor fraternal. São as melhores escolhas.

Escolha é algo que tem de fazer quando se enfrenta uma contenda. Na maioria das vezes tomamos decisões no “calor da hora” e somos precipitados. Aprendo com Abraão a esperar, esperar a vontade de Deus ser nítida, clarificada. Tomar decisão baseada somente naquilo que os olhos veem é tomar decisão superficial. Deus pediu para Abraão levantar os olhos, assim ele teve a visão do que Deus queria.

Humildade. Espera. Paz. São caminhos de Deus para nós.

Os filhos de Deus são pacificadores. Sejamos como Abraão, pacificadores. Ló seria ajudado por Abraão em ocasiões posteriores. Não ficou mágoa no coração, nem rancor, ou amargura. A “contenda” foi bem resolvida, não ficou resquício negativo para o futuro na vida de Abraão.

Enquanto Ló teve uma semeadura ruim porque escolheu pela aparência, foi altivo na sua decisão, e buscou seus próprios interesses. Ló foi alguém com o “jeitinho brasileiro”, “esperto”. Tornou-se prisioneiro de guerra, teve que sair fugido, perdeu a esposa etc.

Pois é, aprendo com o Pai da fé, Abraão, um bom exemplo na hora da contenda. Oro a Deus para que eu possa seguir seus passos.

Paz!!!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog)

ESPERANDO EM DEUS

esperanca

Salmos 62:1- A MINHA alma espera somente em Deus; dele vem a minha salvação.

Não é fácil esperar! Muitos têm dificuldades! Creio que é necessário aprender em Deus a esperar. Aprende-se a esperar em Deus esperando.

Mas fica a pergunta: você espera em quem? Muitos esperam na sua própria carne, possuem uma autoconfiança exacerbada e agem como se tudo dependesse deles. É evidente que quando esperamos em algo normalmente precisamos fazer a nossa parte. Entretanto, não devemos fazer da nossa carne o nosso braço, ou seja, acharmos que sozinho alcançaremos. Outros esperam em alguém. Deslocam a sua confiança em pessoas com recursos e deixam de depender de Deus. Muitos também confiam no acaso. Creem que a sorte ou até mesmo uma conspiração cósmica agirá em seu favor. O salmista escreveu que espera em Deus e nEle devemos esperar. Esperar em Deus é esperar num Deus que é pessoal cujo caráter é Santo.

A Bíblia em Hebreus compara a esperança como uma âncora. A esperança dá estabilidade e firmeza. Também no salmista percebemos que a esperança traduz-se em palavras afirmativas e positivas. O salmista não escreveu que a salvação talvez venha, mas que vem, mostrando convicção. A esperança é uma das três maiores virtudes cristãs ao lado do amor e da fé. Temos esperança acerca do futuro, como por exemplo, a volta de Cristo, a ressurreição dos mortos e a glorificação. A nossa esperança é pessoal e vivencial, pois Deus é pessoal e nossa salvação será apropriada totalmente pela pessoa que crê e espera em Jesus.Maranata!!!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).