Arquivo da categoria: Ano novo

2017: CHEGA DE RELIGIOSIDADE EXTERIOR.

0001001adorar_man31

Costumamos no final de ano e início de outro estabelecermos metas para alcançarmos. Não pensando somente nas metas naturais e materiais, alguns têm objetivos espirituais. Como por exemplo, o aprofundamento do relacionamento com Deus.

Quem pensar assim não poderá deixar de considerar a oração como prioridade. Os religiosos tendem a se apegar as formas esquecendo-se da essência. Assim, muitos oram em formas que eles pensam serem eficientes e deixam de orar em Espírito e em Verdade. Outros são capazes de orações pirotécnicas diante dos outros e quase manifestação nenhuma no particular.

Vamos dar um basta na religiosidade exterior sem vida por dentro. Rasgue seu coração rasgando as vestes ou não. Quebrante-se. É aquele que deseja a Deus e não os aplausos, quando ora crendo em Jesus, que recebe a recompensa do Pai que tudo vê. Tudo que está oculto será revelado. Religião sem vida por dentro será descoberta. Se a nossa oração só for fachada sem fundamento, um dia cairá.

A parábola do fariseu e o publicano ilustra este tipo de mentalidade. O fariseu orava a Deus, mas o foco era si mesmo, Deus para ele era um meio e não o propósito. Já o publicano consciente de quem era, nem olhou para o céu, bateu no peito e pediu misericórdia, pois não justificava a si próprio. Quem foi aceito na oração por Deus foi o publicano.

Se vives como o fariseu, ainda tens tempo de se arrepender. Confesse a Deus seu autoengano e peça a Ele para que em 2017 sejas um autêntico adorador que o adore em Espírito e em Verdade, sem a falsa religião da mera aparência exterior.

 (O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

Anúncios

2016: VIVENDO COM MAIS SABEDORIA.

sabedoria8

A medida que o tempo passa e nos damos conta que o tempo está escasseando devemos ser mais sábios por causa do aprendizado daquilo que já tivemos e ainda temos. O tempo não necessariamente nos faz mais sábios, mas deve ser um aliado a sabedoria, se soubermos extrair sabedoria do tempo vivido. Viver com sabedoria faz toda uma diferença na vida. Aproveitar bem a dádiva do tempo físico é viver consciente do dom de Deus que recebemos a cada minuto.

A sabedoria é mais do que conhecimento. É essencialmente prática e é o que encaminha a nossa vida nas decisões acertadas quando a valorizamos. Os tolos a desprezam, mas os sábios são apegados a ela. O apego se visibiliza de forma mensurável em demonstrações das coisas que são valorizados pelo sábio. O temor e o amor a Deus adquiridos através do conhecimento de Jesus faz com que procuremos seguir seus passos. Quando diante dos dilemas O Espírito Santo capacita e dá poder para nos firmamos nas escolhas certas. O apego a Palavra de Deus também é uma manifestação de sabedoria. Porque amar a Deus é amar a Sua Palavra e obedecê-la. A Palavra de Deus nos traz conhecimentos amplos sobre todos os aspetos da vida e aplicá-la no cotidiano é sinal de sabedoria. A oração é algo também intimamente ligada a sabedoria. Tiago diz que aquele que tem falta de sabedoria peça a Deus, pois ele dá liberalmente. A sabedoria não só vem pelo pedir, mas pela pratica da oração em si, pois a oração pacifica o interior, e o interior pacificado faz melhor as escolhas. A sabedoria também é adquirida pela percepção, observação da vida em si que usufruímos, dos que estão em nossa volta, e das ações de Deus na história no sentido macro e também no micro. Aprendemos quando a percepção passa por uma mente cujo filtro é a Palavra de Deus.

A nossa oração é que o próximo ano seja vivenciado com esta sabedoria que vem de Deus. Cada passo possa ser resultado de uma ponderação sábia. Os sobressaltos sejam enfrentados com coragem cheia de sabedoria. Os impulsos sejam do Espírito agindo em nós. As decisões sejam segundo a Palavra de Deus. Os relacionamentos vivenciados no amor de Deus. A adoração a Deus perpasse a nossa vida por inteiro. A proclamação do Evangelho nunca saía dos nossos lábios.

Sejamos gratos a Deus por mais este dia, por mais uma virada de ano, a tal ponto de vivenciarmo-los com sabedoria do alto cujo fruto é alegria, justiça, paz e amor. Nada de desperdício, de jogarmos a nossa vida ao léu. Urge a necessidade de vivermos com mais sabedoria, que seja assim em 2016. O Senhor seja conosco!

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

A ESPERANÇA E O ANO NOVO.

esperanca8

Há esperanças e há a Esperança que é fruto da ação de Deus em nossas vidas, sendo uma das maiores virtudes cristãs. As festas de fim de ano mexem com muitos sentimentos em nós, mas em algum desses podemos depositar a nossa esperança? Será que nossos sentimentos são bases para a nossa confiança? Será que a virada do ano em si traz uma nova fase em nossa vida? As questões são: temos uma esperança dada por Deus? Ou uma esperança natural? Quais são as fontes de esperança?

Alguns chamam de esperança o que não é esperança cristã. Alguns pensam que esperança é crer que algo acontecerá de forma vaga e sem convicção. Tal sentimento muitos têm relação ao próximo ano: sonhos, planos, que esperamos que aconteçam, que desejamos, mas não há certeza quanto a realização.

Outros creem em relação ao futuro baseando-se nas suas poses, posição, estabilidade, que parece ter alcançado. Tal sentimento não é esperança, é arrogância, e tal é maligna, porque baseia-se em si mesmo. É uma esperança selfie, que na verdade é em si e para si.

Ainda por esse caminho, a esperança de muitos baseia-se em outrem ser humano. Deposita suas expectativas na ação de alguém. Às vezes baseia-se em promessas feitas, mas quem poderá garantir a concretização? O próprio homem não pode. Maldito é o homem que faz de si mesmo a sua força, e só conta com ele mesmo.

Há a esperança também em algum tipo de meio ou instrumento que nós pensamos nos habilitar para a realização do nosso sonho, como: dinheiro, trabalho, herança, poupança etc. Porém, todas estas coisas são sujeitas a intempéries e desgastes. Além disso quem nos pode garantir que teremos eficiência necessária para manusearmos esses instrumentos a tal ponto de conquistar?

A esperança cristã é ter convicção em Deus, em Sua Palavra. A fé é a certeza das coisas que se esperam. A Esperança é a fé em ação com relação ao futuro. É ter convicção. É viver ancorado em meio ao turbilhão da existência. É crer no amanhã. É saber que Jesus é a Ressurreição e a Vida, quem crê nEle ainda que esteja morto, viverá. A Esperança cristã não é difusa, não tem uma visão opaca, nebulosa. Ela vislumbra aquilo que já foi revelado há muitas gerações. As gerações se sucedem e comprovam que a esperança que temos não é vã. O fato de Jesus ter ressuscitado dos mortos nos dá a certeza, que essa inimiga da humanidade, a morte, não calará a continuidade do Povo de Deus.

Neste fim de ano não sabemos o que nos acontecerá em relação a esta vida terrena. Porém, temos esperança (convicção) que nada nos separará do amor de Deus e que para nós sempre haverá um amanhã, pois temos a vida eterna, que transcende a vida física. Temos a esperança que a obra de Deus na nossa vida não fica inconclusa, Ele concluirá.

Termine o ano alimentando-se da Palavra de Deus. Assim a sua esperança também será alimentada. Nenhuma circunstância por mais difícil que seja tirará de nós a convicção (esperança), que teremos sempre um amanhã, pois a vida eterna já começou, quando cremos, e nunca terminará. A esperança cristã é bem fundamentada pois está alicerçada em Cristo, a Pedra Angular, que viveu entre nós de forma vitoriosa e voltará para nos buscar.

Inicie o novo ano com garra, com coragem de avançar para as metas colocadas e vocacionadas por Deus em você. A nossa alegria está associada com a relação que temos com os nossos propósitos de vida. A esperança tem tudo a ver com a alegria, pois sem esperança não se está vivendo, a pessoa está morta por dentro. Viver é viver com esperança. Impulsionado pelo desejo de alcançar o que Deus colocou no coração.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

2015: VIVENDO COM MAIS GRATIDÃO

2015

A medida que o tempo passa e nos damos conta que o tempo está escasseando devemos ser mais gratos pela dádiva do tempo que já tivemos e ainda temos. Viver com gratidão é um dos grandes segredos da vida. Tenhamos gratidão, sobretudo a Deus, também pelas pessoas que cooperam com o nosso crescimento, e pelo milagre da vida, que é um dom Divino.

A gratidão é o resultado da perspectiva celestial que temos acerca da vida. É tudo uma questão de olhar da forma certa e para o alvo certo. Se desfocarmos de Cristo nos perderemos no pessimismo, que pode promover a morte em vida, azedando a existência fazendo que o tempo passe sob o tacão do sofrimento.

Pouse seus olhos em Cristo, Autor e Consumador da fé.

Aproveite a proximidade da virada do ano e a do natal para que a esperança volte a reascender em seu coração. Nascimento é uma nova história que começa. Assim, se dá com aqueles que entendem que a encarnação de Cristo foi um tempo de oportunidade única para a humanidade que Deus deu.

O hoje é dádiva. Seja Grato. A certeza do amanhã em Cristo é Graça. Seja Grato.

Neste novo ano sempre ore ao Senhor por uma visão acertada da vida, pois tendo, você será mais grato a Deus, e com isto mais feliz, consciente da Graça dispensada em seu favor.

“Mais Grato a Ti” – Seja a sua petição.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

2014: VIVENDO COM MAIS EXPERIÊNCIA.

2014

Há viradas de ano em que você passa sem perspectiva. Parece que o dia 31 de dezembro é um dia como outro qualquer, de fato é, um dia como os outros. Entretanto, como todos os dias, não é um dia qualquer. Aliás, é um bom princípio de vida não encarar um dia como outro qualquer. Cada dia que surge, carrega em si, novas possibilidades. Cada dia é ímpar e singular. O sol e a lua, dia e noite, se sucedem, mostrando a continuidade da existência.

Escrito isto, creio que a virada do ano, apesar de ser mais um dia, é uma oportunidade de renovarmos a nossa esperança em Deus para o novo. O ano 2013 passará e 2014 chegará.

E para mim, olhando para o que se passou, percebo um acúmulo de experiências que ajudarão a viver um 2014 de forma mais agradável a Deus. Na vida acumulamos aprendizado, pelo menos deve ser este o “espírito” do discípulo de Cristo, ele cresce na comunhão com Deus e na experiência da vida com a prática da Palavra. Alegrias e sofrimentos são partes do “currículo” não programado, mas não fora do controle de Deus, que adquirimos com o tempo. “As marcas” que deixamos estão espalhadas pelos caminhos de outrora, lembremos-nos delas e sigamos o novo ano de forma mais triunfante.

Sempre me lembro do autor de Hebreus que escreveu sobre o rodeio das inúmeras testemunhas que temos em nossa volta. Na carreira cristã não estamos sozinhos, temos os que estão conosco no momento, temos gerações passadas, temos o Paráclito Divino, Espírito Santo, temos O GPS, a Bíblia, somos nascidos de novo, se cremos em Jesus como Salvador. São muitos os testemunhos de Deus que nos ajudam na caminhada. Portanto, avante vamos para 2014, mais experientes e resolutos em conquistar almas para Cristo.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

FELIZ ANO NOVO SEGUNDO CAIM OU SETE?

imagens-da-abel-e-caim

Os primeiros capítulos de Gênesis relatam a queda da humanidade do estado de perfeição. Criado perfeito, depois do pecado, tornou-se imperfeito e incompleto. Um abismo chamou outro abismo. Depois do pecado de Adão houve o assassinato de Abel por parte de Caim. Parecia que a humanidade incipiente estava destinada ao fracasso, sem perspectiva. Deus teria perdido o controle da história? A violência venceria? O pecado venceria? Quando lemos em Gênesis 4 observamos que Caiu fundou a primeira cidade, e com a descendência dele veio o surgimento da pecuária, da expressão artística musical e de uma rudimentar indústria. Havia progresso em sua descendência, porém um enorme afastamento de Deus. A geração dele maculou os laços familiares com o surgimento da poligamia. Praticava a justiça com as próprias mãos e ainda celebrava os atos de vingança. O progresso deveria ser a qualquer custo? Existia prosperidade real sem a benção de Deus? Será que a humanidade teria como referência a Caim já que Abel estava morto? O mal triunfaria? A reposta é não!

Deus estava e está no controle da história. A humanidade não teria como referência Caim e nem a violência. Deus deu outro filho a Adão – Sete, e diz o texto que nessa época se começou a invocar o nome do Senhor, ou seja, o nome do Senhor foi proclamado. A geração de Caim se caracterizava pela auto-suficiência e a de Sete pela dependência de Deus. Um dos descendentes de Sete foi Enoque, que andou com Deus e por isso Deus o tomou para si. Noé também veio da descendência dele e foi escolhido por Deus para perpetuar a história da humanidade. Os descendentes de Caim morreram no Dilúvio. A descendência de Sete foi preservada. Todos nós somos descendentes de Sete.

Talvez você pergunte o que isto tem haver com o início do novo ano? O que tem haver com os votos de feliz ano novo? Você deseja progresso à custa do afastamento de Deus? Você quer felicidade sem Deus? Você quer o prazer a qualquer custo? Espiritualmente falando você é influenciado pelo legado de Caim ou de Sete? Você depende de Deus ou é independente? Você é prepotente ou confia no poder de Deus para viver?

Não faça nenhum projeto de vida baseado na arrogância, na violência, na injustiça. Seu projeto de vida deve proclamar o nome do Senhor. Deus deve ser exaltado! Seu projeto de vida deve ser andar com Deus (Enoque)! Ter comunhão com Ele! Seu projeto de vida deve ser o de proclamar a Palavra de Deus! Ser pregoeiro da Justiça (Noé)! Pense nisto! Feliz ano novo! Tenha um ano de dependência de Deus (Sete) e não de arrogância e auto-suficiência (Caim).

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

VIVA O HOJE, CONSTRUA O AMANHÃ E NÃO DESPREZE O PASSADO.

idosos-mulher-jovem-idoso-pessoas-ler-41865

             Na ânsia trazida pela virada do ano muitas vezes desprezamos as coisas passadas como elas se tornassem obsoletas. Será? A vida que estamos vivendo é o resultado daquilo que vivenciamos. Sei que o passado não pode ser mudado. Porém, devemos encará-lo como uma base para alcançarmos o futuro. O dia de hoje em muito é resultado do nosso passado. Sei também que não devemos viver do passado, matando o hoje e comprometendo o futuro. Devemos deixar as coisas que para trás ficam e avançar para as coisas que estão diante de nós. Entretanto, avançamos, por causa daquilo que passou. Só avançamos porque antes estávamos em algum ponto. O que se passou é o ponto de partida para novas conquistas. A conquista do hoje é possível por causa do trabalho feito anteriormente.

          Qual deve ser a nossa postura acerca do passado? Saudosismo? Idolatria? Não. Creio que devemos extrair as lições, que com o tempo vão se renovando. Hoje posso analisar um fato ocorrido de uma forma, mas amanhã de outra. O passado sofre reinterpretações e aplicações em diferentes épocas de nossa vida. Não me refiro as Escrituras Sagradas que trazem verdades absolutas, tendo a sua aplicação sempre renovada em nós. Escrevo sobre as nossas experiências que passam por mutações em nossas almas. As mágoas do passado podem se tornar em atitudes de misericórdia. As perdas podem se tornar em grandes descobertas de nós mesmos. Os traumas podem se tornar em marcas de sabedoria. O passado não deve ser venerado, porém só temos o presente e o futuro à frente porque existe um passado. Então não despreze o passado, aprenda com ele. As lições do professor de história, os registros dos livros antigos, as descobertas arqueológicas, os acervos dos museus, os “causos” dos anciãos, registram o caminho que percorremos até aqui, nos ajudando na compreensão do hoje e na construção do amanhã. Sei que com certeza o novo virá, novas conquistas e novas realizações acontecerão, e que no mergulhar do novo ano as experiências e lições do passado moldarão o nosso modo de enxergar este novo tempo. Viva o hoje, construa o amanhã e não despreze o passado.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).