Arquivo da categoria: Pecado

O INCONFORMISMO QUE É DE DEUS.

sede de deus

O inconformismo pode ser desagradável de sentir, mas a consciência de que não se está bem pode ser o resultado do trabalho do Espírito Santo na pessoa que está sendo convencida a ter uma mudança de vida. O pecado tem no início um efeito letárgico. Há um lapso de tempo até o indivíduo ter uma exata noção da gravidade do seu ato. No início do arrependimento ocorre a melhor das quedas quando a pessoa “cai em si” e percebe a sua real condição que estava nebulosa pelo efeito do pecado cometido. Ele sente sua pecaminosidade e inadequação que leva ao inconformismo consigo mesma. É a tristeza segundo Deus que leva ao arrependimento, que é sentida pela ação do Espírito Santo.

Alguns por sua jactância e endurecimento resistem a ação do Espírito e enfrentam a situação do pecado com saídas que enganam a si mesmo, tais como o viés ritualístico religioso ou por ações e sentimentos autopunitivos. Piorando seu estado pois se alastram na alma e até no corpo físico.

O homem não consegue resolver o problema do pecado. Seu estado é incapaz de fazê-lo e incapaz de senti-lo por meios próprios o arrependimento, o inconformismo, que leva a Jesus. Se Deus não convencer não lhe é possível.

Além do arrependimento o inconformismo pode anteceder um avivamento. O povo antes do avivamento tem a consciência de que seu estado é aquém da vontade de Deus e não fica satisfeito com isto. Junto com o quebrantamento, o inconformismo diante da crise são terrenos, que O Senhor está preparando para avivar e renovar.

No meio cristão o inconformismo na maioria das vezes é associado a rebeldia e murmuração, e pode ser assim. Entretanto, como tenho mostrado ele pode anteceder ao arrependimento, ao avivamento e a uma vida mais plena.

Sim, antecede a vida plena também. Pois, o desejar mais de Deus, mais do Seu Espírito pode ser fruto de uma consciência que há mais de Deus para receber e se aprofundar. É o desejo essencial de realizar a Vontade de Deus em sua vida de forma semelhante a fome que deseja o alimento. Deseja-se nada menos do que a vida abundante que Cristo conquistou: abundante de paz, contentamento e direção do Espírito.

A vida plena é quando se vive na plenitude do Espírito, quando a pessoa é cheia do Espírito, e chegou a maturidade espiritual, que é a amizade com Deus, que tem a marca da obediência, do temor e do companheirismo. A pessoa discerne as coisas espirituais com as espirituais não sendo levado pelos ventos das heresias que demovem os meninos na fé. Na amizade com Deus há um maior entendimento da vontade de Deus, pois a pessoa apresenta-se diante de Deus como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, não se conformando com este mundo e tendo a mente renovada pela Palavra de Deus.

Com estas afirmações chegamos a conclusão que Deus em Sua Soberania usa certas circunstâncias que parecem ser obtusas, não afinadas com nossa história para que o nosso coração venha ser transformado. Já para aqueles que conhecem a Jesus a crise, o inconformismo tira a pessoa de uma possível zona de conforto que leva a uma maior busca pela vontade de Deus, que é saciada em Cristo.

( O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

FRASES POSTADAS NO TWITTER 61.

avivamento

Em todos os avivamentos haverá arrependimento porque O Espírito Santo desnuda a situação da Igreja e reascende a chama do primeiro amor. 19\03\2017

Se você reconhece que está aquém do que Deus gostaria e que precisa de uma renovação você já deu o primeiro passo em direção ao avivamento. 20\03\2017

A arrogância como projeto base de um projeto de vida é maligna porque não dá glória a Deus, mas dá glória a si mesmo. 27\03\2017

Quando se está sofrendo admitir para Deus que está doendo é um passo para a cura. Não devemos recalcar, ficar sofrendo calado. Deus é nosso amigo. 05\04\2017

Entender que a criação manifesta a Glória de Deus e que o homem recebeu a posição honrosa de administrador leva-nos ao louvor e a adoração. 08\04\2017

Crer em Jesus não é crer ou viver de forma superficial. Crer em Jesus é mergulhar de cabeça. Deus não deseja nada menos do que tudo para Cristo. 10\04\2017

Perdão é uma atitude que desprende as emoções das situações. Não é que as lembranças deixarão de existir, mas não se terá o mesmo sentimento. 12\04\2017

Deus certamente “balançará” a vida do ortodoxo não praticante. Para que desperte da sua incoerência e venha viver uma vida mais condizente. 18\04\2017

Ao se deparar com pessoas fechadas, que parecem estar obtusas para o Evangelho lembre-se que para os homens é impossível, mas não para Deus. 19\04\2017

Temor a Deus, sim e sempre. Mas medo, não. O perfeito amor lança fora o medo. Quando a Bíblia fala em temor e tremor está falando de respeito. 20\04\2017

(O autor das frases é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

CORAÇÃO REGENERADO.

Novo-Coração

Muitos quando se aproximam da mensagem do Evangelho depositam sua fé na Igreja,e aproximam do cristianismo depositam sua fé na vida social que a mesma proporciona, no pastor etc. Mas quando o problema chega, abandonam a fé. É como um terreno com uma camada fina de pedras, com cascalhos por baixo. É um coração superficial, que recebe com o entusiasmo a palavra, mas murcha, quando vem o sol da angústia, da perseguição, e abandona as fileiras. É um coração sem raízes profundas. No primeiro momento não dá para perceber isto porque a pessoa manifesta um entusiasmo e uma vontade de fazer tudo ao mesmo tempo, que parece uma fé real, mas não persevera.

Por situações semelhantes a esta, pessoas tendem acreditar que a salvação se perde depois de ter acontecido a regeneração. Porém, a parábola do semeador contada por Jesus deixou bem claro que estas pessoas na verdade não se converteram. A Palavra de Deus tem o poder de mostrar o que não se vê pela aparência. Pessoas que parecem ter gás total acabam mostrando que o que tinha era um entusiasmo passageiro.

O coração de quem se converte enraíza-se no Senhor. Portanto, persevera. Tal pessoa tem segurança. O maior dos milagres aconteceu, que é o novo nascimento. A pessoa recebeu um novo coração, uma nova natureza e foi liberta da escravidão do pecado. Agora o pecado é eventual. Não se vive mais na prática habitual dele.

O coração regenerado é frutífero. Mostra a fé que se tem. Tiago asseverou que a fé sem obras é morta. Havendo tempo hábil o crente que nasceu de novo mostrará que sua fé e genuína. Não escrevo que não possa apresentar dificuldades, pois perfeição só na glorificação, mas a fé verdadeira se visibiliza. Abraão creu e isto foi imputado como justiça. Abraão passou por provas e perseverou mostrando que sua fé era real.

Ao recebermos Jesus o amor de Deus foi derramado em nosso coração com a presença do Espírito Santo. Assim o nascido de novo que tem uma capacidade natural de amar recebe o amor de Deus como fruto que dá uma capacidade além da natural de amar. Um amor que se torna a marca identificadora no caráter do crente que é nascido de novo.

Uma nova natureza, uma nova estrutura recebe o nascido de novo que é tão diferente daquela que tem o superficial. O superficial é comandado pela alma, pela concupiscência, mas o nascido de novo é dirigido pelo Espírito de Deus que habita nele influenciado a alma e a mordomia do corpo. De maneira nenhuma as características do nascido de novo são sustentadas por ele mesmo. É obra de Deus. É milagre do Senhor. É obra do Espírito Santo. Não é mérito pessoal.  Quando Jesus foi crucificado e ressuscitou conquistou a vitória sobre satanás e sobre a opressão do domínio do pecado. Quem crer nEle recebe a libertação, a salvação e deixa de ser escravo do pecado e recebe a vida eterna.

O sinal que houve a libertação é o arrependimento. A tristeza segundo Deus, a confissão de pecados, o abandono deles e a nova conduta mostram realmente que houve uma mudança, mostra que é um novo coração. Com diz o ditado: o traje não faz o monge. Não adianta algo aparente, somente exterior, um entusiasmo sem raízes, é preciso mesmo que tenha ocorrido uma mudança, e o verdadeiro arrependimento demonstra isto.

Este novo coração é uma necessidade universal. O homem já nasce pecador e inclinado ao pecado. Davi quando teve esta consciência pediu ao Senhor um coração puro e um espírito inabalável, ou seja, um coração regenerado. O Espírito Santo é que faz esta obra. Abra seu coração para Jesus e Ele te dará pelo Espírito Santo um coração purificado que terá uma disposição de obedecer a Deus e fazer a Sua vontade.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

A FELICIDADE DE SER PERDOADO.

bem-aventurado

O homem veio a existência por um ato da Livre Soberana de Deus que lhe agraciou com a vida e com uma posição diferenciada em toda a criação. O homem foi colocado como administrador e tinha a liberdade de nomear as criaturas criadas por Deus. Deus ao criar o homem lhe deu orientações acerca do que deveria fazer. Como Criador suas orientações foram perfeitas e santas. Não foi uma atitude déspota e nem autoritária. Ao dar oportunidade do homem em escolher entre obedecer ou desobedecer mostrou que desejava ter um real relacionamento com o homem.

O homem em seu estado original foi criado perfeito e dotado de livre arbítrio. Deus colocou diante do homem muitas possibilidades e uma restrição de não comer o fruto da árvore da ciência do bem e do mal. Satanás, rebelde, tentou o homem para que este desobedecesse a Deus nessa questão e o homem desobedeceu perdendo a glória original.

O que aconteceu foi a escravidão. Uma metáfora acerca do pecado é do senhor de escravo. E o homem sem Deus e sem perdão é um escravo do pecado, de satanás. Deus não desistiu do homem. Poderia ter o eliminado. Mas, consciente de que haveria de acontecer e que aconteceu providenciou O resgate do homem por meio do Seu próprio Filho. O Filho de Deus se manifestou para desfazer as obras de satanás trazendo a libertação do homem dessa escravidão.

O perdão e a libertação da escravidão do pecado são obtidos pela fé no sacrifício de Jesus. Não há nada que o homem possa fazer a não ser crer em Jesus. Tendo recebido o perdão podemos chamar essa pessoa de justificada e  bem-aventurada. Conta-se que Agostinho escreveu o Salmo 32 na parede do quarto de dormir, e lia-o incessantemente, chorando. O salmo trata da alegria em ser perdoado. O versículo é: “BEM-AVENTURADO aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto”. Realmente é feliz o homem que crê em Jesus e sabe que através dEle seus pecados foram perdoados e que ele foi justificado diante de Deus. Torna-se filho de Deus por adoção e torna-se co-herdeiro com Cristo, seu Salvador e Remidor. É feliz aquele que creu em Jesus e foi achado por Deus. É ser feliz porque o maior problema do homem é o pecado que desordenou todas as coisas e gerou uma separação entre Deus e o homem intransponível para o mesmo. Receber a chance de recomeçar e receber poder para viver uma nova vida é a obra mais maravilhosa que o homem recebe de Deus através de Jesus. O milagre é de tal monta que o homem nascido de novo passa a responder com arrependimento os pecados futuros e se chegar a se desviar nunca encontrará satisfação, porque ele já conheceu a satisfação de viver em comunhão com Deus, por isto ele acaba voltando para Jesus, que é agora o seu lugar definitivo. Deus em Sua Graça providenciou o Reconciliador, Jesus, Seu Filho, que é o mediador entre Deus e o homem, fazendo com que tenha comunhão com Ele. Ter comunhão com Deus é sinal de vida. Olhar para trás e ver que o passado pecaminoso foi resolvido e olhar para frente tendo a convicção que estará com Deus eternamente é ser feliz. Ter a companhia do Espírito Santo guiando, fortalecendo e capacitando para a vida e testemunho é ser feliz. Saber que nada pode separar do amor de Deus que foi manifesto em Jesus e que aquele que crê vive esta realidade é ser feliz.

A consciência deste bem-aventurança deve nos fazer andar pelo caminho da santificação. O Preço que foi pago pelo nosso resgate foi alto demais, para que nos deixemos levar pelo pecado, que em nada se compara ao amor de Deus revelado por nós.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

RECEBENDO UM NOVO CORAÇÃO.

coracaodepedra

O coração, antes de Cristo, é endurecido cujo entendimento está cego por satanás. A pessoa não compreende as coisas espirituais com o espírito, mas tem uma compreensão natural das coisas. A pessoa é dirigida por sua própria alma, que está rendida as concupiscências, escrava do pecado e de satanás. O coração endurecido é agrilhoado ao pecado. É um rendido. No máximo que acontece é a pessoa exercer uma força de vontade em seguir os preceitos de Deus, vivendo regra por regra, mas sempre fracassará porque ninguém na carne consegue agradar e justificar-se diante de Deus.

A pessoa recebe influências do pensamento que domina esse mundo que a mantém aprisionada ao pecado. O sistema de pensamento que domina o mundo é maligno. Dando, muitas vezes, a impressão de ser libertário, humanista, mas são sofisticações satânicas, que alimentam a concupiscência humana e justificam seus pecados dando camadas de vernizes ideológicos.

O endurecimento também acontece por causa de uma resistência que a pessoa faz em relação a Palavra de Deus, em relação a ação do Espírito Santo no coração. A pessoa ouve, mas resiste. O Espírito Santo convence, mas a pessoa resiste ao convencimento. Deus é o Deus das oportunidades, mas muitos escolhem não aproveitar e endurece o coração em relação a Obra do Espírito Santo.

O endurecimento e a cegueira espiritual não são resolvidos pela própria pessoa. Ela não cura a si mesma. Só com a audição da Palavra de Deus e o convencimento do Espírito que o coração pode ser quebrantado. A Bíblia conta a história de Lídia, que era uma pessoa religiosa, mas não conhecia a Deus, enquanto Paulo pregava Deus abriu o coração dela para que ela entendesse a pregação. É O Espírito Santo que realiza esta obra. Se O Espírito não convencer a pessoa não entende e nem aceita. O próprio Paulo, que antes era conhecido como Saulo, que era um extremo religioso que perseguia os cristãos, teve um encontro com Jesus que mudou toda a sua vida. A iniciativa da salvação é sempre de Deus. Deus amou o mundo primeiro e decidiu enviar Seu Filho para resgatar a humanidade, recebendo a salvação aquele que crê.

A pessoa crendo em Jesus passa pela experiência do Novo Nascimento, onde ocorre a mudança do coração, agora não mais endurecido feito pedra, mas um coração de carne, que tem uma nova natureza que ama a Deus, deseja obedecê-lo, e que pode entender as coisas espirituais, que antes não enxergava e nem compreendia. Davi, certa vez, pediu: Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito estável. Tal milagre é o Novo Nascimento, segundo Jesus Cristo.

Diz o ditado que o coração é terra onde ninguém pisa, mas O Espírito quando convence e é recebido adentra no coração e o torna terreno fértil para as coisas de Deus. Agora o nascido de novo responderá o pecado cometido com o arrependimento. Deus o chama para uma vida que caminha para a perfeição, que será segundo a imagem de Jesus Cristo.  É necessário nesta caminhada ter como bússola a Palavra de Deus e a companhia do Espírito que habita no crente dirigindo pelo caminho que é Jesus. A vida não é mais egocêntrica, mas cristocêntrica. Quer se coma ou beba é a Glória de Deus que é almejada. O coração regenerado é transformado e seguro, pois o sacrifício feito por Jesus foi perfeito. O fato dEle ter ressuscitado mostra o poder da Vida de Deus, que é a Nova Vida que recebemos, o Novo coração, que mesmo atravessando dificuldades a pessoa nascida de novo está nas mãos de Deus de onde não poderá ser tirada.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

PERSEVERANÇA DOS SALVOS.

perseveranca5

Uma das grandes marcas de uma Igreja cheia do Espírito Santo é a perseverança, constância na comunhão, no partir do pão, na doutrina dos apóstolos, na prática da evangelização etc.

 
Enquanto a marca do mundo é a inconstância, volubilidade, a Igreja anda na contramão dessa tendência, pois está fundamentada na rocha imutável que é Cristo.  A Igreja é composta por homens que nasceram de novo, que podem eventualmente cair, mas se acontecer, serão levantados e perseverarão no final.

Em suas fileiras também há pessoas não genuínas, que não tiveram a experiência do novo nascimento. Vivem no engano. Não passarão no dia do juízo. Mas, aquele que realmente faz parte da igreja persevera apesar do contrafluxo do mundo.

A perseverança por parte do salvo acontece porque o crente em Jesus nasceu de novo, ou seja, o maior milagre aconteceu na vida dele. Ele deixou de ser escravo do pecado para ser servo de Cristo. Por isto o seu coração regenerado responde com arrependimento os pecados cometidos. Pode até ocorrer uma demora em fazê-lo, mas ocorrerá. Tudo isto pelo poder transformador de Deus realizado na vida da pessoa que creu nEle.

O justo tem sua vida iniciada pela fé e toda sua carreira que tem transcorre em fé. Alguns abandonam a carreira, desistem, mas na verdade não tiverem de fato um início genuíno. Muitos se aproximam do corpo de Cristo sem de fato um dia pertencê-lo. Podem até ser batizados, mas não se converteram.  A membresia em uma igreja local não faz ninguém salvo. Só aqueles que nascem da Palavra de Deus e do Espírito de fato se converteram e terão como fruto a perseverança.

Depois da conversão a posição espiritual mudou. Deixou-se de estar sob o domínio de satanás e passou a viver em Cristo. Uma vez em Cristo sempre será de Cristo. Agora habita-se, espiritualmente falando, nas regiões celestes em Cristo Jesus. Como disse Pr. Adriano de Castro Magalhães não se fica dançando minueto no céu: entrando e saíndo de lá. Se está em Cristo e no céu, estará de forma definitiva. Portanto, os salvos perseveram, apesar de às vezes acontecer problemas na caminhada.

A nova natureza recebida  é um novo coração espiritual que faz com que haja reprovação do pecado que se aprovava e aprovação do que rejeitava das coisas espirituais. Em Cristo de fato ocorre uma mudança interior, que se reflete na postura dainte da vida e no modo  como enxerga as coisas. A nova natureza é espiritual gerada pelo Espírito Santo na vida do que crê, que passa a ter a vida de Deus, e que agora se alimenta da Palavra de Deus.

O nascido de novo persevera e por isto pertence ao grupo daquele que conclui a carreira. O crente em Jesus não será uma obra inacabada. Chegará até a glorificação onde será semelhante a Jesus. Tal feito é obra de Deus, que operou a poderosa salvação naquele que crê. O salvo não é daqueles que se perde na jactância, mas é daqueles que caminham em humildade sabendo que o Poder de Deus é quem capacita caminhar e concluir.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).

NOVA VIDA.

novavida2

Em nossa vida cristã precisamos aprender que precisamos desaprender. Quando nascemos de novo o antigo modo de viver é abandonado. Passamos a viver de uma nova maneira. O pensamento muda. Tal mudança é resultado do Novo Nascimento, que é espiritual, que ocorreu quando se ouviu a Palavra de Deus, e creu, assim O Espírito Santo nos fez nascer de novo.

É uma nova vida que como uma criança precisará de alimento para desenvolver-se e crescer, tendo a garantia de segurança eterna, pois é vida eterna. Uma nova vida que se desenvolverá com o processo da santificação dia após dia. Vivendo um dia de cada vez antevendo a Glória prometida.

Só aprenderá a desaprender a pessoa humilde. É preciso reconhecer que os pensamentos da velha vida que nos dominavam não são mais por quais devemos ser guiados. Portanto, a carreira cristã deve ser vivenciada com humildade e submissão a Deus e a Sua Palavra. Sempre dispostas a avançar para as coisas de Deus e deixar as coisas que não são. O pensamento secular que graça nesse mundo não dita mais a nossa conduta. São os princípios da Palavra de Deus que são nossos parâmetros.

Agora se vive num mundo visível, atentando para um mundo invisível, pois se vive agora pela fé. A realidade espiritual outrora obscurecida nos foi revelada através de Cristo, que nos deu capacidade de aprender a Sua Palavra, a doutrina que deve conduzir a nossa vida. A Palavra não só é um manual de vida prático, mas também a revelação do que há no mundo espiritual que os nossos olhos não veem. Proporcionando-os uma vida esclarecida em todos aspectos. Portanto, a nossa mente precisa ter sido transformada e disposta a passar por uma renovação constante.

Outra importante questão é o que valorizamos, o que somos apegados, o que consideramos como princípios da vida. Sem dúvida antes de Cristo no nosso pensamento entenebrecido não tínhamos a clareza da Vontade de Deus, pois éramos dominados pela ditadura da nossa própria alma. Com a conversão a ditadura acabou, mas se tornou necessário aprender a viver com a prevalência e influência do espírito sobre a alma. A vida com Deus prepondera sobre os aos desejos da alma.

Portanto, a vida que agora se vida é pela fé, Fé em Jesus, e em Sua Palavra, que revela O Seus Triúno. Num mundo onde as circunstâncias são tão alternantes a fé em Jesus traz estabilidade como também a âncora da esperança. A fé está fundamentada, pois é alicerçada na Palavra de Deus que tem sido comprovada por várias gerações. Não vivemos mais pelas emoções, circunstância, mas pelo que cremos.

Uma vida que entende que o Temor a Deus deve nortear todos os passos. Pois, todos os salvos prestarão contas de suas obras. Sendo salvos pela Graça, mas galardoados ou não pelas obras. O temor é o princípio da sabedoria e fará com que a vida trilhe caminhos certos em meio a tanta incerteza nesse mundo. O temor leva a prática de uma vida sábia que precisamos. Saber discernir por onde anda, saber para onde vai, andar em passo seguros, é tudo o que precisamos.

Rejeite uma vida sincrética que mistura o antigo modo de viver secular com a nova vida em Cristo. Você é nova criatura. Portanto, viva o novo e seja transformado pelo Espírito Santo a cada dia numa pessoa mais parecida com Jesus abandonando as velhas coisas e vivendo as novas. Precisamos desaprender a cada dia o velho modo de pensar e ser santificado pelos pensamentos de Deus que estão na Palavra.

(O autor do artigo é o Pr. Eber Jamil, dono do blog).